Porto Alegre, terça-feira, 06 de outubro de 2015. Atualizado às 19h45.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
22°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8390 3,8410 1,56%
Turismo/SP 3,7200 4,0600 1,45%
Paralelo/SP 3,7200 4,0600 1,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Música Notícia da edição impressa de 07/10/2015. Alterada em 06/10 às 18h42min

Raízes no Sul

MASKAVO/DIVULGAÇÃO/JC
Banda Maskavo lança DVD em show amanhã no Opinião

Bruno Teixeira

Desde 1999, quando a viagem programada para apenas um show na cidade de Montenegro transformou-se em uma turnê de três fins de semana pelo Estado, a banda Maskavo mantém uma relação de amizade com o público gaúcho, o que resultou na gravação de três álbuns ao vivo.
Entre eles, o DVD Queremos mais 15 anos será lançado amanhã, às 22h30min, no bar Opinião (José do Patrocínio, 834 - Cidade Baixa), mesmo local onde foi gravado o material em junho de 2014. O registro comemora os 15 anos de carreira da banda com um repertório recheado de hits como Asas, Um anjo do céu e Folhas secas. Ao todo, a Maskavo já lançou 10 álbuns.
A banda surgiu em Brasília, em um cenário musical influenciado pelo punk rock das bandas Legião Urbana e Capital Inicial. No final dos anos 1980, o guitarrista Rodrigo Prata recebeu de alguns amigos um disco de Bob Marley e passou a aprofundar seus conhecimentos musicais no estilo. Em 1993, surgiu a banda O cravo rastafári, especializada apenas em covers do rei do reggae.
A efervescência da música brasileira nos anos 1990 envolvia uma diversidade de estilos que compreendia o manguebeat de Chico Science e Nação Zumbi, a mistura entre psicodelia, hardcore e rap, do Planet Hemp, o forró-core dos Raimundos, entre outros. Isso fez com que os integrantes de O cravo rastafári também se inspirassem na fonte do pop rock em vez de apenas seguirem as influências do punk rock como a maioria das bandas locais. Este processo auxiliou o grupo a iniciar sua produção autoral e, após sucessivas trocas de integrantes, a banda foi rebatizada como Maskavo Roots.
A virada, porém, veio em 2000, quando a banda decidiu se mudar para São Paulo. A partir do Rio Grande do Sul, a Maskavo (já sem o roots no nome), iniciou uma escalada de shows e conquistou seu espaço. Nesse período, a capital gaúcha teve importância fundamental: "Entre 2000 e 2003, praticamente moramos em Porto Alegre. Vivíamos em um apart na Fernando Machado. Ficávamos um mês, voltávamos para casa e ficávamos mais dois ou três meses (na Capital)", conta Prata.
"A cena do reggae daqui já existia antes de nós, com as bandas Motivos Óbvios e a Produto Nacional. Hoje, há a Diretoria, a Chimarruts e o Armandinho. Acho que naturalmente o público gaúcho gosta de reggae, seja pelo verão forte, o calor intenso no Estado, isso faz com que o pessoal seja próximo ao estilo", explica ele.
Além do contato com as bandas Ultramen, Comunidade Nin-Jitsu, Chimarruts e Acústicos e Valvulados, pontos turísticos, como a Usina do Gasômetro, e as vivências com o público local, inspiraram algumas composições do grupo, entre elas, Seus beijos e Ela só ela.
Versos sobre amor, positividade e paz são mensagens constantes no trabalho da Maskavo e devem estar presentes no seu próximo álbum, ainda sem data oficial. "Já estamos trabalhando e discutindo músicas novas para, no início do próximo ano, lançarmos um novo trabalho", afirma. Prata, porém, não descarta que o grupo aposte também em um trabalho mais político. "Tem uma vertente do reggae politizada - a Maskavo ainda não lançou uma música assim. Talvez no próximo disco, a gente esteja pensando mais nisso", completa.
Enquanto a Maskavo não oficializa seu novo trabalho, os fãs podem reviver os momentos da gravação do DVD Queremos mais 15 anos. Especialmente a música Asas, ponto alto do show. O trecho no qual o público canta o refrão está no Youtube como teaser da turnê de lançamento. "Além de ter ficado muito emocionado, tive aquela sensação de dever cumprido", confessa. "Foi muito legal, muito forte, muito intenso. Esperamos que amanhã possamos repetir a dose com a galera", avisa.
Os ingressos, entre R$ 35,00 e R$ 60,00, estão à venda nas lojas Multisom (Andradas e Canoas Shopping) e Youcom. A banda encerra a passagem pelo Estado com um show no município de Portão nesta sexta-feira.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
PamPiano: um pampa musical e poético Na cadência do samba Caymmi em percussão e sopros
Regionalismo orquestrado

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Coloque o resultado
neste campo