Giovanna Sommariva

Interessados se inscrevem sem saber qual será o evento

Iniciativa promove experiências surpresas em Porto Alegre

Giovanna Sommariva

Interessados se inscrevem sem saber qual será o evento

Quando moramos em um mesmo local por muito tempo, é normal passar a enxergá-lo de maneira monótona, afinal, a gente se acostuma. É natural. Mas será que deveria ser assim? Foi com esse questionamento em mente que a estudante de Políticas Públicas, Roberta Dias, 24 anos, criou o Projeto Trampolim. A iniciativa, que surgiu há cinco anos, convida pessoas a vivenciarem experiências surpresas na cidade de Porto Alegre, sabendo apenas o dia e horário do encontro.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Quando moramos em um mesmo local por muito tempo, é normal passar a enxergá-lo de maneira monótona, afinal, a gente se acostuma. É natural. Mas será que deveria ser assim? Foi com esse questionamento em mente que a estudante de Políticas Públicas, Roberta Dias, 24 anos, criou o Projeto Trampolim. A iniciativa, que surgiu há cinco anos, convida pessoas a vivenciarem experiências surpresas na cidade de Porto Alegre, sabendo apenas o dia e horário do encontro.
“Meus amigos, cansados de irem sempre nos mesmos lugares da cidade, costumavam me pedir dicas de passeios diferentes, e eu gostava muito de proporcionar essas indicações para eles. Também sempre tive vontade de fazer muitas coisas, algumas bem aleatórias, seja em Porto Alegre ou em outros lugares. Eu tive um momento de epifania quando notei que essas duas ideias poderiam resultar em um projeto único. Foi meio mágico”, conta, entre risos. Em 2016, Roberta realizou a primeira edição do Trampolim, que proporcionou um jantar às cegas para 35 pessoas, guiadas do início ao fim da experiência.
 
GUILHERME BECKER/DIVULGAÇÃO/JC
A grande conexão entre esses encontros, segundo a idealizadora, acaba sendo a confiança que a mesma possui na iniciativa e no que pode proporcionar. “Acredito que essas experiências serão divertidas e especiais, gerando um impacto na vida dessas pessoas. É um espaço confortável e seguro, que tu podes criar conexões reais, seja com outras pessoas ou com a tua própria cidade. É redescobrir Porto Alegre de uma maneira inusitada e divertida”, explica.
Todo mês um convite é lançado, via instagram (@vemprotrampolim), com data e horário de encontro. Às vésperas dessa data, os inscritos recebem o endereço e, só chegando lá, descobrem qual vai ser o evento. Já foram mais de 150 participantes durante as seis edições do projeto, que contaram com atividades como prática de consciência corporal, aula de pole dance, escalada e até um flash mob com pedido de casamento ao final da apresentação.
 
Madu Nectoux/Divulgação/JC
“Em quase todas as edições, alguém me fala algo tipo: ‘nossa, se alguém me pedisse para fazer uma escalada em uma segunda-feira à noite, depois de trabalhar o dia inteiro, eu com certeza não aceitaria”, conta. De acordo com Roberta, o que incentiva as pessoas a participarem é o mistério, aquela famosa sensação de frio na barriga de não saber o que vai acontecer. “É uma saída da rotina e da zona de conforto que, por ser pensada e planejada por uma pessoa engajada, acaba passando confiança para quem tem interesse”, completa.
O processo de escolha dos encontros é feito pela própria idealizadora. “Tenho uma lista de coisas que eu sempre quis fazer, ou que eu gostaria de ver mais pessoas fazendo. Sejam coisas completamente bobas, como assistir a um espetáculo, ou algo muito mais elaborado, como uma intervenção urbana ou mutirões de trabalho voluntário para alguma comunidade, por exemplo. Também não posso falar muito porque se não acabo entregando as minhas próximas edições”, brinca. A partir disso, a jovem busca e entra em contato com pessoas que realizam esse trabalho na cidade.
Giovanna Sommariva

Giovanna Sommariva - estagiária do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Giovanna Sommariva

Giovanna Sommariva - estagiária do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário