Isadora Jacoby

A Zazá Comidinhas entrega na casa dos clientes kits para lanches da tarde e café da manhã

Delivery de Porto Alegre leva experiência do coffee break para o home office

Isadora Jacoby

A Zazá Comidinhas entrega na casa dos clientes kits para lanches da tarde e café da manhã

Voltar para a proposta inicial. Esse foi o movimento que o empreendedor Pedro Torres, 32, teve de fazer para manter os resultados do seu negócio desde o início da pandemia. Há oito anos, o publicitário mudou o rumo de sua carreira e iniciou uma jornada à frente da Zazá Comidinhas que, até março de 2020, estava focada em atender demandas do universo corporativo, como catering para palestras e eventos. Depois disso, ele precisou voltar o modelo de negócio para o que fazia no início da sua trajetória empreendedora: atendimento direto ao público final. Assim, passou a vender kits de lanches por delivery. 

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Voltar para a proposta inicial. Esse foi o movimento que o empreendedor Pedro Torres, 32, teve de fazer para manter os resultados do seu negócio desde o início da pandemia. Há oito anos, o publicitário mudou o rumo de sua carreira e iniciou uma jornada à frente da Zazá Comidinhas que, até março de 2020, estava focada em atender demandas do universo corporativo, como catering para palestras e eventos. Depois disso, ele precisou voltar o modelo de negócio para o que fazia no início da sua trajetória empreendedora: atendimento direto ao público final. Assim, passou a vender kits de lanches por delivery. 
Com os escritórios esvaziados a partir da adoção do trabalho remoto, uma das oportunidades encontradas por Pedro foi oferecer kits para que as empresas enviassem para os seus colaboradores durante o home office. "Seguimos algumas parcerias corporativas e fizemos tanto kits individuais para happy hour de empresa, cestas de café da manhã em datas especiais. Conseguimos manter alguns clientes corporativos nesse formato de entrega direta para o colaborador", afirma. A mudança exigiu muitas adaptações, que passaram por alterações no cardápio e nas embalagens. "Pedíamos sempre dois dias úteis para encomendas e passamos para um turno. Demos uma enxugada no cardápio para conseguir atender essa pronta-entrega sem prejuízo tão grande. Ajustamos os posicionamentos. Repensamos embalagem, para não ficar danificada no transporte caso seja de moto", explica o empreendedor.  
Além do público corporativo, a Zazá Comidinhas passou a conversar diretamente com o público final. Ao longo do último ano, o negócio passou a ter na sua cartela de clientes mães e pais que estavam com os filhos em casa e, ainda, quem estava trabalhando em home office e queria fazer um lanche diferente ao longo do dia. "Já pensamos a embalagem do delivery para que seja bonita o suficiente para ser servida à mesa", contextualiza Pedro, contando que os kits foram muito usados para pequenas comemorações de aniversário e piqueniques em 2020. 
ZAZACOMIDINHAS/DIVULGAÇÃO/JC
Agora disponíveis por Ifood, Rappi e na entrega própria, os kits são vendidos em dois tamanhos. O maior custa R$ 55,00 e é composto por 20 cachorrinhos-quentes ou mini sanduíches e 15 pedaços de bolo, servindo de quatro a cinco pessoas.  O menor, indicado para três pessoas, custa R$ 30,00 e tem seis cachorrinhos ou mini sanduíches e 12 pedaços de bolo ou pizza de sardinha. O quitute, aliás, é uma das receitas da avó de Pedro, que dá nome ao negócio. "Sempre gostei de cozinhar, mas nunca curti uma cozinha mais rebuscada. A minha avó cozinhava muito para a família, e era tudo bem caseiro. Então, fiz uma homenagem porque Zaza era o apelido dela. A maioria das receitas são da minha avó. Fizemos alguns ajustes , mas a pizza de sardinha, o bolo de chocolate, de cenoura, são todas receitas do caderninho da vó", releva Pedro. 
Aos poucos, o empreendedor conta que estão surgindo algumas demandas para empresas, mas ainda muito diferente do que era antes da pandemia. Por essa razão, o norte do negócio segue sendo o público final. "A expectativa é que o setor corporativo vá engatinhar por muito tempo. Tínhamos um volume grande e diário de coffee break, que era o que sustentava a empresa. Esse tipo de demanda não tem perspectiva de retorno, porque a maioria dos clientes vai instituir o home office. A junção de 30 pessoas para um treinamento, uma palestra, não é mais uma realidade. Então, estamos nos estruturamos para crescer para o público final", pontua Pedro. 
Com dois funcionários fixos, o objetivo do empreendedor para aprimorar a relação com o público final é abrir mais uma cozinha para produção no bairro Bom Fim. Hoje, a cozinha industrial da Zazá Comidinhas fica na Zona Norte, próximo ao Porto Seco, o que gera algumas dificuldades logísticas para a entrega por meio de aplicativos de delivery, uma das frentes que Pedro pretende fortalecer em 2021. 
ZAZACOMIDINHAS/DIVULGAÇÃO/JC
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário