Isadora Jacoby

A operação, que iniciou somente com delivery na região, terá espaço para receber a clientela

Mark Hamburgueria abrirá nova unidade na Zona Sul em 2021

Isadora Jacoby

A operação, que iniciou somente com delivery na região, terá espaço para receber a clientela

Se 2020 foi cheio de incertezas, o desejo é que 2021 seja marcado pelo planejamento. Para que isso aconteça, empreendedores estão tirando projetos do papel e deixando a imprevisibilidade para trás. Mark Bandeira, proprietário da Mark Hamburgueria, de Porto Alegre, irá expandir o seu negócio nos próximos meses, transformando seu espaço de delivery na Zona Sul da cidade em um restaurante, e deve inaugurar uma unidade na Região Metropolitana.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Se 2020 foi cheio de incertezas, o desejo é que 2021 seja marcado pelo planejamento. Para que isso aconteça, empreendedores estão tirando projetos do papel e deixando a imprevisibilidade para trás. Mark Bandeira, proprietário da Mark Hamburgueria, de Porto Alegre, irá expandir o seu negócio nos próximos meses, transformando seu espaço de delivery na Zona Sul da cidade em um restaurante, e deve inaugurar uma unidade na Região Metropolitana.
A intenção de investir mais de R$ 200 mil em 2021 se deve aos resultados positivos do ano que se encerra. Apesar de exaustivo, como define Mark, a hamburgueria registrou bons números. "Para mim, foi um ano excepcional em questão de vendas, crescimento e fortalecimento de marca, mas foi cansativo", pondera o empreendedor. Nos últimos meses, a Mark cresceu seu volume de pedidos por delivery, passando de uma média de 300 mensais para 4 mil.
O espaço renovado na Zona Sul deve funcionar a partir de março. No início da pandemia, Mark conta que abriu uma operação somente de delivery na região, que foi bem recebida pela vizinhança. O empreendimento funcionará no endereço atual, na avenida Wenceslau Escobar, nº 3.293, no bairro Tristeza. Para abrir as portas, devem ser investidos cerca de R$ 60 mil e contratados quatro novos funcionários. No segundo semestre do ano, o prognóstico é se lançar em Canoas ou Novo Hamburgo. "Estou correndo atrás de algum ponto para expandir para essa região", revela Mark. Nessa operação, devem ser investidos R$ 150 mil e está prevista a contratação de oito colaboradores.
Finalizando o ano de forma positiva e mirando 2021 com bons olhos, a sensação para o empreendedor é de alívio e orgulho, como ele define. "Fico orgulhoso do negócio, vejo muitos lugares bons que fecharam, que não conseguiram se adaptar à nova realidade", contextualiza. Adaptação, justamente, é o segredo do crescimento, destaca Mark.
Anteriormente, apenas 30% de seu faturamento era oriundo do delivery, enquanto hoje a modalidade representa 80% dos rendimentos. "Tem que ter muita persistência, entender o momento e se adequar. Não pode ter medo de arriscar. O que deu certo para mim foi me aproximar ainda mais do cliente e encarar o delivery como o novo normal", acredita o empreendedor, que incentiva outros empreendedores e empreendedoras a voltarem o olhar para o formato.
"Tenho uma vizinha, que tem um café, e tem muito medo do delivery por receio de perder a qualidade. E eu digo que sim, vai perder a qualidade, mas não pode perder faturamento. As pessoas que pedem o delivery entendem que a qualidade não é a mesma da casa. Por isso, é preciso encarar o delivery como a nova realidade", sugere.
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário