Mauro Belo Schneider

Economia vai de 20% a 40%, afirma o CEO do negócio

Plataforma lançada no RS facilita aluguéis por temporada

Mauro Belo Schneider

Economia vai de 20% a 40%, afirma o CEO do negócio

O advogado especialista em Direito Imobiliário Adrio Messias, 37 anos, de Gravataí, cansou de perder tempo procurando a estadia ideal em sites como Airbnb e Booking na hora de viajar. Em vez de ter acesso a uma lista interminável de opções, ele queria poder fazer a sua oferta, dizer o quanto queria pagar, por qual período, o local e o número de pessoas que iriam lhe acompanhar. Como não havia nada nesse sentido, lançou a plataforma MyOffer. “Quis inverter a lógica”, defende.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

O advogado especialista em Direito Imobiliário Adrio Messias, 37 anos, de Gravataí, cansou de perder tempo procurando a estadia ideal em sites como Airbnb e Booking na hora de viajar. Em vez de ter acesso a uma lista interminável de opções, ele queria poder fazer a sua oferta, dizer o quanto queria pagar, por qual período, o local e o número de pessoas que iriam lhe acompanhar. Como não havia nada nesse sentido, lançou a plataforma MyOffer. “Quis inverter a lógica”, defende.
A solução está funcionando desde outubro em Gramado e em Canela. Em pouco mais de um mês, contabiliza 600 cadastros e 200 ofertas. Além de Adrio, três amigos integram a empreitada, cada um de uma área: Maicon Correa, Francisco Brust e Anderson Fetter.
O objetivo era, em dezembro, desenvolver o mercado no Litoral, mas tudo dependerá de como estarão as bandeiras da Covid-19. Adrio entende que não deve estimular a ida dos turistas à região caso a pandemia esteja descontrolada.
MyOffer/Divulgação/JC
A ideia surgiu há dois anos, e começou por Gramado pelo fato de ser a segunda cidade mais visitada do Brasil, perdendo apenas para o Rio de Janeiro. “Queremos somar, ajudar o nosso povo”, destaca.
O MyOffer tem dois públicos: os viajantes e os anfitriões. A monetização se dá pela cobrança fixa de 12% de comissão de quem abre as suas casas ou pousadas. Não há opção de pagar a mais para ganhar destaque na plataforma.
O público faz a oferta sem ver imóvel nenhum, completando as informações que estimularam Adrio a criar a solução: período, número de pessoas, destino e quanto quer pagar. Quem possui imóveis pode, a partir disso, aceitar os hóspedes após ler o perfil descrito, o que libera o acesso às fotos do destino. “A economia é de 20% a 40% para o turista. O anfitrião que cobra R$ 500,00 a diária tem a possibilidade de aceitar R$ 400,00, por exemplo. É escolher entre ganhar algo ou não ganhar nada”, detalha o empreendedor, que já teve imobiliária por 11 anos.
“O hóspede decide quanto quer pagar e o proprietário tem mais rentabilidade e taxa de ocupação”, resume Adrio.
Por ser advogado, ele tomou cuidado para desenvolver um sistema com detalhamento de dados dos usuários em caso de possíveis danos aos imóveis. O plano é, após esse período inicial, buscar investimento para expandir para o Brasil e para o mundo.
Em Gramado, os clientes do MyOffer ganham vouchers com cortesias para serem usados em lojas de chocolate, parques e restaurantes. Um deles é o Hard Rock Café, que disponibiliza um drink.
Mauro Belo Schneider

Mauro Belo Schneider - editor do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Mauro Belo Schneider

Mauro Belo Schneider - editor do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário