Vitorya Paulo

Movimento de pessoas que foram passar a quarentena no litoral aqueceu as vendas

Restaurante de Rainha do Mar registrou alta ao longo do ano

Vitorya Paulo

Movimento de pessoas que foram passar a quarentena no litoral aqueceu as vendas

A pandemia representou um período de extrema dificuldade para alguns empreendedores de diversos setores e regiões. Porém, no restaurante Meu Recanto, em Rainha do Mar, o momento foi de alta nas vendas. Isso porque muitos veranistas se refugiaram na praia mesmo no inverno para passar a quarentena isolados, conforme conta o sócio do negócio, Ricardo Lima da Silva, 38 anos. "Está sendo um divisor de águas. Não posso me queixar do movimento", afirma.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

A pandemia representou um período de extrema dificuldade para alguns empreendedores de diversos setores e regiões. Porém, no restaurante Meu Recanto, em Rainha do Mar, o momento foi de alta nas vendas. Isso porque muitos veranistas se refugiaram na praia mesmo no inverno para passar a quarentena isolados, conforme conta o sócio do negócio, Ricardo Lima da Silva, 38 anos. "Está sendo um divisor de águas. Não posso me queixar do movimento", afirma.
Comandando o restaurante familiar ao lado do irmão, Everaldo Lima da Silva, 43, Ricardo conta que a pandemia aqueceu a economia do balneário. O período realmente difícil foi entre março e abril, em que o negócio teve de fechar as portas durante um mês em razão da bandeira vermelha. "Em abril, quando tudo retornou com os protocolos, vimos que teve aumento da demanda e foi acentuando", lembra.
Com capacidade para atender 30 mesas, agora, implementando o distanciamento obrigatório entre os clientes, o restaurante opera com 12. O buffet, que era tradição da casa, foi suspenso temporariamente, ficando apenas os pratos a la carte. "Tudo o que vendemos é do portfólio da casa que sempre tivemos, só não tem o buffet", explica. As mudanças implementadas, porém, não afetaram as vendas. "Os dias da semana estão se equivalendo aos de fins de semana", afirma o sócio. No somatório, o número de almoços vendidos diariamente fica entre 100 e 120. Além disso, cerca de 90% dos clientes são veranistas e não moradores.
Além do aumento de frequentadores, Ricardo afirma que o restaurante fica bem localizado, logo na entrada de Rainha do Mar, o que também ajudou a manter o faturamento em alta. "Quem chega na praia, passa por nós. Não temos Facebook nem Instagram por opção. A melhor propaganda é o boca a boca", justifica. Para o verão, ele espera que a temporada seja boa, mas teme que as pessoas não tenham consciência e não usem máscaras. "A vacina vai ser o principal motivo para o verão ser bom ou não."
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário