Vitorya Paulo

Nova empreitada recebeu investimento de R$ 200 mil

Após fechar no Praia de Belas, Tokyo Sushi reabre com duas operações de delivery

Vitorya Paulo

Nova empreitada recebeu investimento de R$ 200 mil

O encerramento de um ciclo de uma empresa pode representar a abertura de portas de novas fases. É essa experiência que os sócios do Tokyo Sushi Lounge, restaurante que teve seu início em Porto Alegre, em 2015, no Shopping Praia de Belas, estão vivendo atualmente. Com a operação encerrada no final de 2019, o negócio saiu do shopping e reabriu repaginado, com duas operações de delivery e take away nos bairros Petrópolis e Sarandi.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

O encerramento de um ciclo de uma empresa pode representar a abertura de portas de novas fases. É essa experiência que os sócios do Tokyo Sushi Lounge, restaurante que teve seu início em Porto Alegre, em 2015, no Shopping Praia de Belas, estão vivendo atualmente. Com a operação encerrada no final de 2019, o negócio saiu do shopping e reabriu repaginado, com duas operações de delivery e take away nos bairros Petrópolis e Sarandi.
A decisão foi tomada em razão do aumento do valor do aluguel pelo dobro, conta o administrador Leonardo Prade, 46 anos, que lidera o Tokyo ao lado de Eduardo Chiodo Cunha, 39, Diego Chiodo Cunha, 36, e Hélio Oliveira, 62. "Assinamos um contrato em outubro que atestava que sairíamos do Praia de Belas em março. No dia seguinte, as vendas começaram a subir. Tivemos faturamentos históricos em janeiro e fevereiro", lembra Leonardo.
Simultaneamente, eles foram estudando locais futuros para abrigar o negócio e encontraram na Vicente da Fontoura, nº 1836, o local ideal. "Abrimos a nova unidade no dia 5 de março. Mantivemos o mesmo volume de vendas no primeiro mês e, no final de abril, chegamos ao dobro", expõe. Uma das razões para o sucesso dessa mudança foi a contratação de consultoria do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RS) e mudanças sistemáticas, como o atendimento pelas plataformas digitais. "Levávamos, às vezes, 15 minutos para atender um cliente pelo WhatsApp. Agora, automatizamos tudo com um robô que direciona a pessoa para o marketplace", explica o sócio.
Com o aumento das vendas, uma segunda operação foi aberta na Zona Norte (na rua Engenheiro Sadi Castro, nº 470, loja 05). O Tokyo Sushi, que agora tem o complemento do "Delivery" no nome, recebeu investimento de cerca de R$ 200 mil e está, segundo Leonardo, crescendo a cada dia. "Estamos faturando 30% acima do previsto", celebra. Há, ainda, o projeto Galpão Food Hub, que agregará a operação de outras cinco marcas no mesmo local da cozinha do bairro Sarandi. Usina de Massas, Tartoni Ristorante, Usina do Pastel, Fornellone e Gambrinus (estes dois últimos com outras marcas) integram a ideia, que ainda não está atendendo clientes presencialmente.
Leonardo reconhece que está "surfando na onda" dos restaurantes fechados por conta da pandemia, abocanhando parte de um público que não pode frequentar os locais. Porém, se mantém confiante e revela que já iniciou o processo para reforma na cozinha da unidade da Vicente da Fontoura. "Nós somos muito flexíveis e reagimos muito rápido. É uma característica forte nossa. Conseguimos mudar cardápios para atingir outras classes econômicas", explica, referindo-se a combos de sushi mais baratos. Para ele, esse processo está servindo para aprender que no empreendedorismo é necessário procurar profissionais capacitados de outras áreas e ter uma equipe unida. "Tem que ter humildade de pedir ajuda, além de ter disciplina e persistência, como tudo na vida", afirma.
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Vitorya Paulo

Vitorya Paulo - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário