Pâmela Maidana

Sócia do Poa na Rua e Apoia Local diz que é preciso conhecer os negócios do próprio bairro

Empreendedorismo local sairá fortalecido da pandemia

Pâmela Maidana

Sócia do Poa na Rua e Apoia Local diz que é preciso conhecer os negócios do próprio bairro

Thiana Pinto, do projeto Poa na Rua e do app Apoia Local, acredita que o comportamento das pessoas na hora da compra mudou. O consumo local foi impulsionado pela pandemia do coronavírus, já que a circulação ficou mais restrita. O impacto disso para os negócios e seu legado foram discutidos no episódio mais recente do podcast do GeraçãoE - já disponíveis nos players de áudio.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Thiana Pinto, do projeto Poa na Rua e do app Apoia Local, acredita que o comportamento das pessoas na hora da compra mudou. O consumo local foi impulsionado pela pandemia do coronavírus, já que a circulação ficou mais restrita. O impacto disso para os negócios e seu legado foram discutidos no episódio mais recente do podcast do GeraçãoE - já disponíveis nos players de áudio.
Para ela, é importante que empresas grandes apoiem os pequenos, como é o caso da Magazine Luiza. Isso, segundo Thiana, é fundamental porque ninguém cresce sozinho.
O público precisa, inclusive, mudar a forma de pensar o consumo. “É uma coisa muito mais mental, de as pessoas entenderem a importância disso. Saber que se comprar do pequeno pode gastar mais.” Porém isso não acontece da noite para o dia, leva tempo, mas é possível. Para mudar, é necessário agir de forma prática. “Uma coisa é falar ‘apoiem, apoiem’, outra coisa é tornar isso prático e rápido. Primeiro é preciso conhecer quem está na tua volta”, pontua a empreendedora.
Quando começou a pensar o Poa na Rua, Thiana lembra que Porto Alegre se encontrava num momento delicado por conta da violência. A população estava com medo de sair na rua em função dos assaltos e sequestros. Nisso, ela incentivou as pessoas a irem para as ruas e tornarem os espaços seguros. “A gente tem que estar junto numa praça, por exemplo, porque onde tem gente, tem segurança. Temos que tomar os espaços públicos, as praças, os cafés, os bares, ir para as feiras. Isso cria um senso de comunidade, tu sente que faz parte daquilo ali."
Com as orientações de distanciamento social em razão da pandemia, não se pode mais frequentar as feiras, os bares e as praças como antes. Foi pensando nesse contexto que surgiu o aplicativo Apoia Local. Ele mostra os negócios perto da sua localização, aquecendo economia da rua e do bairro.
Se antes a tendência era consumir de grandes marcas industrializadas num ritmo muito alto, Thiana pensa que a mentalidade de consumo, no momento pós-pandemia, tende migrar para o local. “A gente vai conseguir enxergar o que está acontecendo. Um monte de loja fechada, um monte de gente precisando de ajuda. Um monte de gente que perdeu o emprego e perdeu tudo. Então, acho que só vai crescer, só vai aumentar. É um comportamento mundial, é um novo momento que vem aí e eu acho que ele vai ser lindo.”
Pâmela Maidana

Pâmela Maidana - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Pâmela Maidana

Pâmela Maidana - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário