Isadora Jacoby

A Food Lover opera no bairro Menino Deus há três meses

Open de batata frita é aposta de nova hamburgueria de Porto Alegre

Isadora Jacoby

A Food Lover opera no bairro Menino Deus há três meses

Estrear no universo do empreendedorismo não é uma tarefa fácil mesmo quando há planejamento. Quando a oportunidade do negócio próprio chega inesperadamente, a empreitada pode ser ainda mais desafiadora. Melissa Renz, 28 anos, e Solon Almeida, 24, sentiram na pele essas adversidades quando inauguraram, há três meses, a hamburgueria Food Lover, na avenida Érico Veríssimo, nº 472, em Porto Alegre.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Estrear no universo do empreendedorismo não é uma tarefa fácil mesmo quando há planejamento. Quando a oportunidade do negócio próprio chega inesperadamente, a empreitada pode ser ainda mais desafiadora. Melissa Renz, 28 anos, e Solon Almeida, 24, sentiram na pele essas adversidades quando inauguraram, há três meses, a hamburgueria Food Lover, na avenida Érico Veríssimo, nº 472, em Porto Alegre.
Solon trabalhava há cinco anos com o pai em uma lancheria no mesmo bairro e, quando o negócio encerrou as atividades, o casal se viu em uma situação profissional similar. "Sou jornalista e não encontrava nenhuma oportunidade na área e o Solon ficou sem o emprego com o pai", conta Melissa, explicando que o término do negócio do sogro foi fundamental para que os dois iniciassem sua trajetória no empreendedorismo. "O pai dele tinha estrutura, mesas, equipamentos. Foi um incentivo para a gente", pontua. Em menos de um mês e com investimento de R$ 11 mil, a dupla colocou o projeto em prática com a ajuda dos familiares. "O cunhado dele é empreiteiro, então deu toda mão de obra para a reforma, só pagamos material. Meu pai é eletricista, fez toda a parte elétrica", expõe Melissa.
A velocidade com que o negócio tomou forma foi motivo de preocupação no início da operação. Os sócios contam que, nas primeiras semanas, não sabiam como atrair clientes. Além da divulgação por meio das redes sociais,  a dupla apostou em fazer uma open (consumo livre) de batata frita para fidelizar a clientela. "No início, fiquei com bastante medo que acabassem as batatas, mas o Solon tem experiência e me garantiu que as pessoas uma hora paravam de comer e que dava sede. Ou seja, iam consumir mais bebida. Fizemos um evento no Facebook e as pessoas encontraram. Veio muita gente que nunca vimos na vida. Foi uma loucura", lembra. O serviço, que acontece em datas marcadas, custa R$ 15,00 e inclui batata frita, com queijo cheddar, requeijão, bacon e calabresa.
LUIZA PRADO/JC
O casal planeja recuperar o investimento inicial no primeiro ano da operação. Por isso, decidiu encorpar o faturamento oferecendo o serviço da hamburgueria para eventos. "Para o primeiro ano, o objetivo é consolidar a loja como um ponto do bairro, mas sabemos que para alcançar algumas metas pessoais precisamos fazer algo mais. Por isso, abrimos um buffet de festa. Levamos todos sabores que temos na casa em uma versão mini", explica Solon. 
Estreantes no empreendedorismo, eles avaliam de forma positiva os meses iniciais. "O fato de ser nosso, de ter todas as responsabilidades, é uma carga maior, mas traz mais satisfação quando os resultados chegam. Nos jogamos e, no fim, nos apaixonamos por isso. Queremos muito fazer com que o negócio se torne parte do bairro", afirma Solon. A Food Lover funciona de segunda-feira à sábado, das 18h a meia noite. Nas quintas e sexta-feiras, opera também no horário de almoço. 
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário