Isadora Jacoby

A Virgo tem peças clássicas que são lançadas em coleções cápsulas de inverno e de verão

Designer cria e-commerce para democratizar alfaiataria

Isadora Jacoby

A Virgo tem peças clássicas que são lançadas em coleções cápsulas de inverno e de verão

A importância de escolher peças de roupas clássicas para compor o guarda roupa está cada vez mais nas discussões de moda. Em uma época em que se fala muito em consumo consciente, optar por modelos que possam ser usados por mais tempo e que, ainda assim, estarão alinhados com as tendências da época é uma maneira de ser mais sustentável na hora de se vestir.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

A importância de escolher peças de roupas clássicas para compor o guarda roupa está cada vez mais nas discussões de moda. Em uma época em que se fala muito em consumo consciente, optar por modelos que possam ser usados por mais tempo e que, ainda assim, estarão alinhados com as tendências da época é uma maneira de ser mais sustentável na hora de se vestir.
Michelle Marquetti, 25 anos, enxergou aí uma possibilidade de empreender no ramo da moda e criou a Virgo, marca focada na produção de peças de alfaiataria para mulheres. Formada em Design Gráfico, ela conta que sempre teve interesse nesse universo. Após trabalhar três anos na sua área de graduação, tomou a decisão de seguir para o segmento que desejava atuar. Segundo ela, o destino deu uma força na transição de carreira. "No dia que eu estava indo para a entrevista de emprego, conheci um motorista de Uber que trabalhou durante 35 anos com moda em grandes empresas e ele me passou o seu contato. Pensei que o universo estava a meu favor", lembra. 
LUIZA PRADO/JC
Depois de um período trabalhando em uma agência de conteúdo voltada para marcas, Michelle ponderou que já era hora de apostar no negócio próprio. O primeiro passo foi formar sua rede de fornecedores e serviços. "Liguei para o Seu Luís, o Uber, que me indicou uma cortadora. Eu não entendia muito da área, por mais que tivesse feito cursos. É difícil pegar a visão macro", conta. 
Em março de 2019, foi lançada a primeira coleção cápsula da Virgo. "Chamo assim porque cada peça pode ser usada junto com as outras. Se comprar 10 peças, todas combinam, inclusive nas cores", explica. A escolha pela alfaiataria veio de um desejo de criar peças-chave, que, apesar de básicas, são difíceis de encontrar no mercado, principalmente com preços competitivos. "Priorizo roupas básicas com o caimento perfeito. Às vezes, só se quer um vestido preto que caia bem no corpo e não se encontra", expõe. As peças custam entre R$ 89,00 e R$ 249,00, atendem do tamanho PP ao G e são vendidas no e-commerce da marca (shopvirgo.com.br). O top - que Michelle está usando na foto - foi o modelo mais vendido até então. A empreendedora acredita que o sucesso se deve à cocriação da clientela. "Criei junto com as pessoas que compraram. Elas sugeriram deixar mais comprido, com a alça mais larga. Ele foi tão bem recebido que fiz na coleção de inverno e de verão, só mudei as cores."
O nome da marca foi uma maneira que Michelle encontrou de abraçar características que, até então,  julgava negativas. "Sou muito virginiana. Achava isso ruim em mim, porque sou muito neurótica e perfeccionista. Mas resolvi abraçar isso e é o que coloco nas peças. Para o corte ficar impecável, às vezes, é feito quatro ou cinco vezes até ficar perfeito", conta. 
A próxima coleção já está sendo preparada e deve ser lançada no final de março. Prestes a completar um ano de empreendedorismo, Michelle acredita que o mais importante para seguir em frente é perder o medo. "Tem que ter paciência e ir atrás todos os dias. Não dá para se comparar com marcas que hoje estão superbem porque a gente não sabe o que elas passaram. Às vezes, têm 10, 20 anos de mercado. A Apple lança celular todo ano e vai melhorando, então tem que perder o receio e se reinventar todos os dias."
LUIZA PRADO/JC
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário