Mauro Belo Schneider

A Melody incluiu gravação de DVD durante a homenagem para continuar atrativa

Família vive do serviço de mensagens ao vivo desde os anos 2000 em Porto Alegre

Mauro Belo Schneider

A Melody incluiu gravação de DVD durante a homenagem para continuar atrativa

O Rio Grande do Sul viveu, nos anos 2000, o auge das telemensagens. Começou com os envios de áudio por telefone e avançou para as declarações de amor ao vivo, protagonizadas por locutores com vozes aveludadas que chegavam às casas dos presenteados em carros adaptados. Nesse contexto, surgiu, em Porto Alegre, a Melody, que funciona até hoje e dá sustento a uma família de quatro pessoas.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

O Rio Grande do Sul viveu, nos anos 2000, o auge das telemensagens. Começou com os envios de áudio por telefone e avançou para as declarações de amor ao vivo, protagonizadas por locutores com vozes aveludadas que chegavam às casas dos presenteados em carros adaptados. Nesse contexto, surgiu, em Porto Alegre, a Melody, que funciona até hoje e dá sustento a uma família de quatro pessoas.
Daiane Terres Costa, 30 anos, toca o negócio ao lado da mãe, Madalena Terres, do irmão e do pai. Ela conta que toda semana há demanda, principalmente aos sábados. A celebração mais pedida é de aniversários, porém há quem queira usar o sistema de som para fazer zoeira. "Já ligaram perguntando se fazíamos mensagem de ódio. Claro que não, só de amor", diverte-se.
E a Melody não está sozinha no mercado. Daiane soma, pelo menos, cinco outras empresas concorrentes na Capital. Para manter o diferencial, houve adaptações. Se antes os clientes recebiam uma fita como recordação, agora o pacote de R$ 150,00 inclui a leitura do texto, transmissão de fotos, filmagem de uma câmera acoplada no porta-malas e entrega de um DVD com imagens da homenagem editadas na hora. Há a opção, ainda, da gravação em um cartão de memória. Para quem quer deixar a experiência mais intensa, parceiros fornecem buquês de flores e é possível contratar drag queens. Daiane conta que algumas pessoas têm trauma das mensagens ao vivo. Quando recebem, no entanto, mudam de opinião. "É o único momento da festa em que os convidados param para ouvir ou dizer palavras bonitas."
A Melody, conforme Daiane, mudou a vida da família. Dos fundos da casa da avó, na Lomba do Pinheiro, conquistaram a independência em uma residência na Zona Sul e dois carros. O sucesso do serviço, segundo ela, não depende apenas de quem o executa. "É uma troca de energia."
Mauro Belo Schneider

Mauro Belo Schneider - editor do GeraçãoE

Receba matérias deste autor
Mauro Belo Schneider

Mauro Belo Schneider - editor do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário