Mauro Belo Schneider

Proprietário do negócio percebeu que o público não quer mais pagar ingresso para ir à balada

Rosário fecha e dá lugar à nova unidade da Leiteria

Mauro Belo Schneider

Proprietário do negócio percebeu que o público não quer mais pagar ingresso para ir à balada

Depois de oito anos operando na rua 24 de Outubro, no bairro Auxiliadora, em Porto Alegre, a casa noturna Rosário Resto Lounge dará lugar a outro negócio administrado por seu proprietário, Tiago Leite, 36 anos. A Leiteria, que atualmente funciona apenas na avenida Venâncio Aires, ganhará uma filial a partir do dia 10 de dezembro.

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

Depois de oito anos operando na rua 24 de Outubro, no bairro Auxiliadora, em Porto Alegre, a casa noturna Rosário Resto Lounge dará lugar a outro negócio administrado por seu proprietário, Tiago Leite, 36 anos. A Leiteria, que atualmente funciona apenas na avenida Venâncio Aires, ganhará uma filial a partir do dia 10 de dezembro.
A mudança de ramo se deve à leitura de mercado. Segundo Tiago, a nova geração não está mais disposta a investir para frequentar locais de balada que abrem todos os dias. E isso se deve à tecnologia. "O modelo de negócio do Rosário está se tornando obsoleto. Há cinco ou seis anos, não existia aplicativo. A nova geração não quer ir para a noite, pagar ingresso, para achar um parceiro. Quer um barzinho no final de tarde. A pessoa até paga, mas quando é uma festa pontual", diz ele.
"A casa noturna era para tomar uma bebida e deixar as coisas irem acontecendo no brilho da noite. Com os apps, mudou esse processo. E a casa absorve essa conta", aponta.
Embora Tiago destaque que o Rosário continuava rentável, o empreendedor sentiu que era hora de agir. "Não preciso esperar tomar choque ou começar a ir mal para mudar", brinca.
A Leiteria é um misto de padaria, confeitaria, mercearia e restaurante. Para essa mudança de ramo, o prédio está sendo remodelado. 
Para atender as duas unidades, inclusive, ele está expandindo o time especializado em gastronomia. Na operação da Venâncio Aires, por fim de semana, a marca chega a contar com 50 colaboradores.
A história de Tiago no empreendedorismo começou cedo. Natural de Progresso, ele se mudou à Capital aos 14 anos para trabalhar em um minimercado, onde foi faxineiro e repositor. Aos 17, virou gerente do local. Aos 19, comprou um minimercado na Venâncio Aires. Aos 23, comprou outro na rua José do Patrocínio. Com 25, começou a plantar eucaliptos e, aos 28, apareceu a oportunidade do Rosário. Hoje, cultiva um hábito que serve de exemplo: vive fazendo cursos e se atualizando - como sua trajetória deixa claro.
Rosário/Divulgação/JC
Mauro Belo Schneider

Mauro Belo Schneider - editor do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário