Isadora Jacoby

A Sr Gabo pretende ser um espaço para quem gosta de café e literatura

Cafeteria inspirada em Gabriel García Márquez abre em Porto Alegre

Isadora Jacoby

A Sr Gabo pretende ser um espaço para quem gosta de café e literatura

A região que abriga a Biblioteca Pública do Estado e diversas livrarias e sebos recebeu, na última semana, uma cafeteria inspirada em um dos maiores escritores latino-americanos. A Sr Gabo homenageia Gabriel García Márquez, escritor colombiano que conquistou o prêmio Nobel de Literatura, em 1982, pelo conjunto de sua obra. O sociólogo Antonio Gianichini, 52 anos, está à frente do negócio junto com sua esposa Rosele Rambo, 55, profissional de educação física aposentada. "A rua da Ladeira é histórica. Leva os turistas à Assembleia, ao Palácio Piratini, à Catedral. Os porto-alegrenses ao Theatro São Pedro, à Biblioteca Pública. Então, o Sr Gabo é caminho para parar e tomar um café. Considerando que tem muitas livrarias no entorno, a ideia foi homenagear um escritor que me marcou muito na juventude", salienta Antonio. 

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

A região que abriga a Biblioteca Pública do Estado e diversas livrarias e sebos recebeu, na última semana, uma cafeteria inspirada em um dos maiores escritores latino-americanos. A Sr Gabo homenageia Gabriel García Márquez, escritor colombiano que conquistou o prêmio Nobel de Literatura, em 1982, pelo conjunto de sua obra. O sociólogo Antonio Gianichini, 52 anos, está à frente do negócio junto com sua esposa Rosele Rambo, 55, profissional de educação física aposentada. "A rua da Ladeira é histórica. Leva os turistas à Assembleia, ao Palácio Piratini, à Catedral. Os porto-alegrenses ao Theatro São Pedro, à Biblioteca Pública. Então, o Sr Gabo é caminho para parar e tomar um café. Considerando que tem muitas livrarias no entorno, a ideia foi homenagear um escritor que me marcou muito na juventude", salienta Antonio. 
A operação não é a primeira experiência de Antonio como empreendedor, que já teve outra cafeteria durante o período que morou em Brasília. Há seis anos, quando retornou para Porto Alegre, começou a trabalhar na Assembleia Legislativa. Foi, justamente, andando pelo centro que viu o ponto disponível para abrir o seu negócio. "O centro de Porto Alegre tem vários bares e cafés, mas com aquela pegada muito rápida de comer e ir embora. Nós pensamos em abrir algo que humanizasse, que as pessoas parassem e curtissem", pondera Antonio.
Com investimento em torno de R$ 150 mil, o espaço, localizado na rua General Câmara, nº 451, levou quatro meses para ter suas obras finalizadas. Em alusão à tradicional frase do autor que diz que enquanto houverem flores amarelas por perto, nada de ruim pode acontecer, a janela do estabelecimento é decorada com pequenas rosas na cor. As borboletas amarelas, que por muitas vezes aparecem no clássico Cem Anos de Solidão, também fazem parte da decoração que conta, ainda, com uma ilustração com o rosto do autor bem no centro da cafeteria. "São as coincidências de Gabriel. Quem ilustrou foi um Gabriel, nosso cozinheiro se chama Gabriel. Outro dia tinham borboletas voando aqui", expõe Antonio, afirmando que, em breve, mais referências ao escritor farão parte do local. 
LUIZA PRADO/JC
Operando de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h, o espaço abre aos sábados para eventos particulares. A ideia, segundo o empreendedor, é realizar lançamentos de livros no local. Além de cafés, o cardápio conta com opções de chopes, espumantes e vinhos. No almoço, são servidos pratos executivos com valor em torno de R$29,00. Com uma semana de funcionamento, Antonio planeja aprimorar alguns pontos que não ficaram prontos em tempo da inauguração. Na fachada do espaço, pretende colocar uma placa onde, semanalmente, serão colocadas diferentes frases de Gabriel García Márquez.
LUIZA PRADO/JC
Isadora Jacoby

Isadora Jacoby - repórter do GeraçãoE

Receba matérias deste autor

Deixe um comentário