A credibilidade, muitas vezes, vale mais que o produto

Nem sempre você vai ganhar


A credibilidade, muitas vezes, vale mais que o produto

A irmã de uma colega nossa comprou, dia desses, duas taças para a festa de 15 anos da sua filha. No meio do caminho para o local da celebração, uma delas quebrou, já que não estava embalada corretamente. Pode acontecer, não é mesmo?

Ops! Este conteúdo é exclusivo para assinantes...

A irmã de uma colega nossa comprou, dia desses, duas taças para a festa de 15 anos da sua filha. No meio do caminho para o local da celebração, uma delas quebrou, já que não estava embalada corretamente. Pode acontecer, não é mesmo?
Sim, o que não pode é o empreendimento que vendeu o item (por R$ 100,00, vale ressaltar) simplesmente culpar a cliente pelo ocorrido. Na hora do acidente, a primeira atitude da nossa amiga foi voltar à loja para trocar o objeto defeituoso.
A reação dos vendedores, no entanto, foi de defensiva. "A senhora não cuidou direito." "Deve ter sido o balanço do carro." Oi? Que aula de empreendedorismo a dona da operação faltou?
Nem sempre ganha-se nos negócios. Mas há situações que, certamente, levam a perdas. Como essa. Se a loja tivesse assumido que a taça é sensível e trocado a peça imediatamente, a irmã da nossa colega teria continuado cliente da marca. E mais do que isso: teria recomendado o serviço nos grupos do Facebook, WhatsApp e Telegram, dos quais faz parte. Propagaria uma mensagem positiva daquele empreendimento.
Por pura falta de visão, a gestora perdeu mais do que o valor da taça. Perdeu credibilidade entre uma comunidade inteira. E isso custa muito para recuperar.
#reflita

Deixe um comentário