Consumo de conteúdo em vídeo na web segue crescendo Consumo de conteúdo em vídeo na web segue crescendo Foto: /Parker Byrd/ Divulgação/JC

Consumo de conteúdo em vídeo: 8 coisas que você precisa saber

Conteúdo em vídeo é uma das formas mais efetivas para engajar o público. Independente do canal que você utiliza para promover sua marca, sempre existe um jeito de alcançar ainda mais o seu público com esse formato.
Quer definir os canais em que deseja atuar com sua estratégia de marketing de conteúdo em vídeo? Saber mais detalhes sobre quais tipos de estratégias são mais efetivas? Antes de tomar qualquer decisão, dá uma olhada nessas dicas!
1- Consumo de conteúdo em vídeo na web segue crescendo
O estudo Video Viewers, encomendado pelo Google, indica que o crescimento do consumo de vídeos on-line, nos últimos cinco anos, ultrapassa 160%. O YouTube é considerado por 44% das pessoas o meio ideal para consumir conteúdo em vídeo. A plataforma é seguida pela Netflix (22%) e WhatsApp (12%). No estudo, a televisão aberta e paga registram 8% e 6% da preferência, respectivamente. Na edição de 2018 da pesquisa, o uso de smartphones para consumir conteúdo em vídeo também foi destacado pelos participantes e 75% deles afirmaram utilizar esse tipo de dispositivo para assistir vídeos.
2- Vídeos impactam na decisão do consumidor
Um estudo feito pelo Google mostrou que vídeos on-line impactam na decisão de compra de 50% dos consumidores. Ou seja, quando uma pessoa fica em dúvida sobre qual produto adquirir, um vídeo bem produzido e divulgado da forma adequada pode garantir um novo cliente em, pelo menos, metade dos casos. Outra pesquisa indicou quais tipos de conteúdo atraem mais o público. Se esse tópico do estudo fosse resumido em uma palavra, ela seria: identificação.
Três em cada quatro espectadores do YouTube consideram que a plataforma deve contar com experiências reais, com conteúdo produzido por pessoas com as quais eles consigam encontrar semelhanças. Esse dado faz mais sentido ao pensar no sucesso dos Vlogs, onde o(a) apresentador(a) expõe a sua realidade para o público, que se identifica com a humanidade de quem está do outro lado da tela.
3- Produção de conteúdo em vídeo no YouTube
O YouTube é o aplicativo de vídeo com maior faturamento do mundo, de acordo com a SensorTower, empresa responsável por monitorar o mercado de aplicativos. O lucro da plataforma, a partir de gastos dos usuários, foi de US$ 138 milhões. A ferramenta permite a criação de anúncios em vídeo, que podem ser segmentados segundo o interesse do público. A produção de conteúdo no YouTube também pode gerar engajamento e vendas. Criando um canal, você produz materiais que possibilitam que as pessoas conheçam sua marca, compartilhar conhecimento e muito mais. Se você quer criar um canal, mas não sabe muito bem como começar a produção de vídeos, o YouTube possui uma área dedicada a orientar os criadores de conteúdo. Vale a pena acessar!
4- Stories, IGTV e o interesse dos usuários no Instagram
O Instagram é a rede social que mais cresce em termos de impulsionamento de compras. Adicione a essa informação o fato de que são mais de um bilhão de contas ativas por mês, sendo que 80% delas seguem perfis de empresas. 
O estudo Social Video Consumer Trends 2018 (Animoto), apresenta o comportamento dos usuários do Instagram enquanto consumidores de conteúdo nos Stories e no IGTV. De acordo com o levantamento, 47% das pessoas se interessa por assistir anúncios nos Stories. Sobre o IGTV, espaço para vídeos de longa duração, 49% dos usuários assistiram um vídeo no aplicativo. Desse público, 70% acompanhou algum conteúdo produzido por marcas.
5- E o Facebook?
Não é só o Instagram que luta para consolidar uma nova opção para produção e consumo de conteúdo em vídeo. O Facebook Watch é uma das tentativas de colocar a rede como uma opção de serviços de streaming. Inclusive, Mark e seus amigos têm investido pesado nessa estratégia, produzindo séries com atores de destaque do cinema americano (como na produção Sorry For Your Loss). O Watch é uma tentativa do Facebook de atrair o seu público, acostumado a consumir conteúdo com menor duração, para uma experiência mais longa.
O Facebook conta ainda com as diversas opções de anúncios, disponíveis a partir do Gerenciador de Anúncios. Ele pode ser utilizado para criar conteúdos também para os seguidores da sua marca no Instagram, por exemplo. O Gerenciador permite a criação de filtros para as divulgações, o que pode ajudar na hora de fazer um anúncio que seja mais voltado para o público engajado com a marca. Vale lembrar que, caso você já tenha publicado algum conteúdo em vídeo, pode impulsionar a publicação.
Se quiser saber um pouco mais sobre produção de conteúdo no Facebook, você pode acessar a área que eles criaram especialmente para compartilhar dicas com o público.
6- Já ouviu falar do TikTok?
Tiktok é uma rede social que permite a criação e compartilhamento de vídeos de curta duração. Segundo a SensorTower, em 2018, o aplicativo contabilizou mais de 1 bilhão de downloads, superando o Instagram. Pelo crescimento considerável da rede social, muitas marcas passaram a identificar nela uma opção para obter mais público. A rede social aposta em vídeos descontraídos para engajar os usuários. De uma forma geral, o público do TikTok é jovem, sendo que 41% dele tem entre 16 e 24 anos. Por isso, antes de criar um planejamento para inserir sua empresa no TikTok, vale pensar se o público que você deseja atrair está nessa rede social.
7- O Twitter também merece atenção
Se você usa pouco (ou nada) o Twitter, pode achar que é uma rede social mais voltada para o texto. Mas não é bem assim. Assim como nas demais redes sociais, o conteúdo com mais chances de viralizar é o vídeo, quem diz isso é o próprio Twitter. O Twitter comprova também que vídeos de curta duração podem fazer com que o público associe sua marca a esse conteúdo em outras oportunidades. Em um estudo sobre anúncios em vídeo, o Twitter concluiu que 88% dos consumidores têm preferência por anúncios mais curtos. Esse mesmo levantamento indicou, também, que vídeos que apresentam a mensagem principal nos primeiro três segundos reforçam a lembrança da marca por parte do público.
8- Conteúdo em vídeo em sites
Se você quer fazer do seu site um local no qual os usuários se engajem e tenham interesse na sua marca, trabalhe com vídeos! Assim como são efetivos nas redes sociais, os vídeos ajudam na compreensão de conteúdo e produtos das páginas do seu site. Os vídeos podem ser utilizados com diversas finalidades. Descrição de produtos, apresentação da sua empresa, informações sobre eventos específicos, depoimento de clientes: tudo que ajude o público a se aproximar da sua marca é válido.
Se você quer saber como começar a produzir conteúdo em vídeo, clique aqui!
Semanalmente, o pessoal da Dinamize compartilha dicas de marketing digital com os leitores do GeraçãoE.
Já escutou o podcast do GeraçãoE? Conteúdos em áudio com dicas de empreendedores de sucesso para você ouvir a qualquer hora clicando aqui.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio