Maria de Lourdes, fundadora da Anselmi, com os filhos que hoje trabalham no negócio Maria de Lourdes, fundadora da Anselmi, com os filhos que hoje trabalham no negócio Foto: /ANGELO DAL BÓ/DIVULGAÇÃO/JC

Malharia Anselmi passa por processo de sucessão

Malharia de Farroupilha tem comando familiar

A mallharia Anselmi, de Farroupilha, na Serra Gaúcha, foi fundada há mais de três décadas por Maria de Lourdes Anselmi, que hoje divide o comando da empresa com os três filhos, Sandra, Patrícia e Eduardo. Ela pretende acompanhar os negócios por tempo indeterminado, porém, no momento, permite-se viajar e passar mais tempo fora da empresa, pois confia na gestão do trio. A malharia conta com 340 colaboradores, que trabalham em um parque fabril com 14 mil m², distribuídos em setores de criação, tecelagem, costura e a tinturaria própria, considerada uma das mais modernas do mundo. Nesta entrevista, ela fala sobre o processo de sucessão familiar e planos de expansão.
GeraçãoE - Como está sendo o processo de sucessão da Anselmi?
Maria de Lourdes Anselmi - Na verdade, os filhos trabalham na empresa há mais de 20 anos e, aos poucos, assumiram funções distintas. Sandra Anselmi, a primogênita, assumiu a direção de Criação. Eduardo, inicialmente responsável pela parte técnica da tecelagem e produção, hoje divide a administração da empresa comigo. Patricia, a caçula, está há mais de 10 anos na empresa e, atualmente, é a responsável pela direção de marketing.
GE - Como foi a escolha do sucessor?
Maria de Lourdes - O Eduardo desde sempre demonstrou mais interesse por assuntos administrativos e de gestão da empresa, o que acabou contribuindo para futuramente ser o CEO. Não houve contratação externa porque não sentimos a necessidade devido a harmonia familiar nas decisões gerais da Anselmi.
GE - Qual a dica para quem inicia o processo de sucessão familiar?
Maria de Lourdes - Aqui na Anselmi, o processo aconteceu naturalmente. Se tivéssemos dúvidas, teríamos contratado uma empresa para avaliar se os herdeiros têm perfil para assumir o negócio ou não. Hoje me sinto muito segura pela tomada da decisão futura. Essa segurança vem em saber do amor, dedicação e competência que os filhos têm pela empresa. A dica é: é preciso muito tempo de experiência e acompanhamento do sucessor para que não se perca a "alma" da empresa, mantendo os valores e princípios, respeitando a história e os colaboradores que cresceram junto a ela, valorizando a essência e o capital humano. E que não seja apenas um negócio.
GE - A Anselmi tem planos de expansão para 2020? Pretende lançar algum modelo de franquia?
Maria de Lourdes - Temos planos de expansão com lojas próprias, mas não muito arrojadas. Estamos aguardando a reforma tributária.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio