Rafael Terra Rafael Terra Foto: LUCAS FRANCK/DIVULGAÇÃO/JC

25 tendências de Marketing Digital

As dicas foram preparadas por Rafael Terra, CEO da Fabulosa Ideia. Professor de MBA na ESPM, PUC e UNISINOS. Palestrante e consultor nacional de Marketing Digital e Humanização de Marcas.

1-Facebook não morreu, ok?
Inclusive, em 2019, iremos ver anúncios na busca da rede social, assim como no Google. Não podemos esquecer que o Facebook é dono do Instagram. E os anúncios nessa rede performam melhor feitos a partir dos dados do Gerenciador de Anúncios do Facebook.
2-IGTV como grande player
Sim, acredite: IGTV irá crescer muito em 2019. Motivo? O YouTube está pagando pouco para seus creators. E Mark Zuckerberg viu uma oportunidade de fazer esses criadores de conteúdo migrarem de rede.
3-Vídeo, vídeo, vídeo!
Como diria Jim Louderback: "Antigamente, se você não tivesse um site, não existia na web. Hoje, é assim com o vídeo". Não importa a plataforma: se você optar por vídeo, sempre ganha. Aliás, o Facebook acabou de lançar o Video Creation Kit, recurso que facilita que qualquer amador crie seus próprios vídeos.
4-Freemium
O conceito vem das startups. Em suma, é dar uma experiência gratuita ao seu consumidor.
5-Gatilhos mentais x neuromarketing
O que é a Black Friday? Uma gatilho de urgência que desperta o desejo das pessoas comprarem naquele dia. E cada vez vamos ver mais a aproximação do marketing digital com o neuromarketing.
6-Comentários em redes sociais são leads
Chatbots é uma tendência que cresce a cada ano. Uma dica é perguntar algo ao seu consumidor nas redes sociais. Esses comentários, além de aumentarem o engajamento da publicação, podem ser uma forma de ativação de alguma informação através de chatbots.
7-Produto como mídia x realidade aumentada
A Coca-Cola acabou de lançar uma ação de fim de ano na qual as pessoas podem baixar um aplicativo e ver uma história a partir de suas garrafas. Ou seja: é o produto virando mídia.
8-Comunicação visual é a lei
Segundo pesquisa da Killer Infographics, um estímulo visual chega ao cérebro 60 mil vezes mais rápido que um estímulo de texto. Além disso, 90% das informações que retemos é visual. Dica: transforme seus textos em listas, infográficos e ícones.
9-Stories, Stories, Stories. Até no YouTube
Agora, já é possível anunciar diretamente nos Stories do Instagram. Em 2019, será possível anunciar nos Stories do Facebook também. E o YouTube acaba de lançar YouTube Reels, o Stories da plataforma de vídeos.
10-Busca por voz
Até 2020, metade de todas as consultas de pesquisa no Google serão baseadas em voz, diz a ComScore. Um dos desafios dos profissionais de marketing digital será entender como o rankeamento de marcas nos buscadores funciona.
11-Ferramentas que facilitam encontrar os influenciadores certos
Que influenciadores digitais são uma tendência ninguém duvida. A novidade é que têm surgido cada vez mais ferramentas de análise e de aproach com esses creators. Por exemplo, a mLabs - ferramenta de gerenciamento de redes sociais - e a Squid - plataforma de influencers - acabaram de selar parceria que facilita conexão entre marcas e influenciadores digitais.
12-Personalização da compra por meio de dados
Pesquisa da Adobe revelou que 80% dos usuários esperam personalização em sua experiência de compra e relacionamento com a organização. Além disso, 59% têm expectativas de que as empresas saibam suas compras passadas, e 46%, há quanto tempo são consumidores. A dica é, desde o início da conversa com o consumidor, colher seus dados - WhatsApp e e-mail - e segmentar listas a partir de comportamentos.
13-Pinterest vem com tudo
O Pinterest quer ser o novo Google. No Web Summit 2018, o maior evento de tecnologia do mundo, a rede de imagens anunciou grandes investimentos para a popularização da marca. Como hoje tudo é visual, não tenho dúvida que as marcas começaram a olhar mais para essa plataforma. Aliás, o conteúdo lá rankea muito nos mecanismos de busca.
14-Menos reunião, mais preço explícito
O público brasileiro ainda tem medo de expor preço na web, principalmente o nicho de serviços. Mas, lá fora, principalmente nos EUA e na China, é comum as empresas deixarem nos seus sites tanto preço como já uma agenda para marcar o atendimento.
15-Reputação on-line
Seguindo o raciocínio da tendência anterior, as pessoas só vão comprar teu serviço na web sem a necessidade de uma reunião se sua reputação for muito boa. E lembre-se: reputação é repetição. Somos aquilo que repetimos.
16-Cada publicação é um mini e-commerce!
As pessoas não acessam as marcas nas mídias sociais. Elas acessam os seus feeds. Ou seja, quando uma marca der a sorte de chegar até o seu consumidor, traga informações completas. Principalmente preço, onde e como compra, além do contato.
17-Além do preço, propósito
Falamos bastante de preço, mas uma grande tendência é trazer, no seu site, o propósito, o seu interesse além do econômico, o seu legado para a sociedade.
18-Dark social
Muitos dados gerados na web não podem ser rastreados pelas empresas. Um deles, inclusive, é o conteúdo viralizado em grupos de WhatsApp. Ou seja: hoje, é um bom sinal quando você perde o controle da sua empresa. Sinal que ela está chegando em lugares que você nem desconfia.
19-Content shock
Há uns cinco anos, os empresários viam com desconfiança as redes sociais. Hoje, ninguém duvida do seu potencial. Com isso, toda empresa virou mídia. Há mais produção de conteúdo do que leitores para consumir tanta informação. A dica é: publique só o que é relevante e sempre com verba de anúncio.
20-O real acima de tudo
Banco de imagens não convence mais, faz você perder venda. Assim como o velho comercial de margarina. A tendência é mostrar a marca como ela é. E, se você tiver problema com isso, sinal que tem algo errado com ela.
21-Consultoria em alta
Muitas possibilidades geram confusão. Um prato cheio para quem quer atuar com consultoria e ajudar empresas e pessoas a guiarem seus caminhos.
22-Linkedin: maior investimento em anúncios
Essa rede é, hoje, a melhor para empresas B2B. Anúncios conseguem chegar exatamente em perfis determinados. Mas a regra, aqui, é anúncios com mais tempo, pois as pessoas não se conectam com tanta frequência como nas demais redes.
23-Lançamentos de produtos digitais
Há espaço para todos os nichos. Aliás, se não existe um curso no seu nicho, parabéns. Você achou uma grande oportunidade.
24-E-commerce no Instagram
Já é possível colocar preço e linkar seu e-commerce no Instagram. E, para isso, novamente, entra em jogo o Facebook. Você tem que subir seus produtos dentro do Gerenciador de Anúncios do Facebook, em Catálogos de Produtos.
25-Ética e privacidade digital
Lembre-se que não adianta colocar em prática todas as demais tendências se você não estiver realizando com ética seus processos.
Compartilhe
Comentários ( 1 )
  1. curtidasfacebook.com

    Unquestionably believe that which you stated. Your favorite justification appeared to be on the web the easiest thing to be aware of. I say to you, I definitely get irked while people consider worries that they just don't know about. You managed to hit the nail upon the top and also defined out the whole thing without having side-effects , people can take a signal. Will probably be back to get more. Thanks

Publicidade
Texto relacionados
Mostre seu Negócio