Vinicius e Felipe fazem de tudo na Tchê Chefs Burger: da administração e produção à limpeza Vinicius e Felipe fazem de tudo na Tchê Chefs Burger: da administração e produção à limpeza Foto: /MARCO QUINTANA/JC

Após desilusão com o mercado de Engenharia, dupla abre hamburgueria na Cidade Baixa

Eles fazem tudo no local, da produção à limpeza

Vinicius Marangoni e Felipe Grange, colegas de faculdade, levaram a amizade para o mundo dos negócios. Os dois abriram o Tchê Chefs Burger, em agosto, depois de um ano participando de eventos e festas, de maneira itinerante. Formados em Engenharia Ambiental e desiludidos com as poucas oportunidades no mercado de trabalho, os jovens começaram fazendo hambúrgueres e churrascos para amigos.
"Pensamos em investir em lugar fixo ou food truck. Mas o food truck exige um investimento alto, então optamos pela loja", comenta Vinicius. Eles escolheram um ponto estratégico, na rua Lima e Silva, na Cidade Baixa, depois de procurarem em outros bairros. "Vimos um local na 24 de Outubro, mas já tínhamos passado aqui na frente e visto a loja fechada. Foi um dos poucos lugares que, quando falamos que seria uma hamburgueria, com brasa, as proprietárias aceitaram", explica Vinicius.
De acordo com Felipe, o público é bem versátil e abrange estudantes, idosos e turistas. "É bem movimentado. A circulação à noite é bem maior que em qualquer outra rua", observa. O empreendedor admite que, ao escolher um ponto de venda, os dois precisaram se adaptar com a mudança de rotina. "Antes, como trabalhávamos por evento, era tudo mais esporádico e tínhamos mais tempo para nos programarmos. Agora, é todos os dias", compara Felipe. Além de dividirem a função da cozinha, eles compartilham o administrativo, o atendimento (com a ajuda de ambas as namoradas) e até mesmo a limpeza. "Um é chefe do outro, mas dá certo, nos entendemos muito", brinca.
Os sócios aplicam no Tchê Chefs Burger a sustentabilidade, do aprendizado obtido na universidade. O cardápio é enxuto, com quatro opções fixas e uma móvel, para que não haja desperdício. "A gente não quer jogar pão, carne, qualquer tipo de insumo fora. Nos programamos para produzir 80 hambúrgueres por dia. Se acabar, acabou", pontua Vinicius. Eles planejam implantar uma horta com produção de ingredientes. E será que se rolasse uma vaga na área de Engenharia eles largariam o negócio? "Não", respondem ao mesmo tempo.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio