Vencedores buscam otimizar seus negócios, oriundos de periferias Vencedores buscam otimizar seus negócios, oriundos de periferias Foto: /SOFIA SCHUCK/ESPECIAL/JC

Confira quem foram os jovens vencedores do Prêmio Baita Empreendedor

Concorreram 180 empreendedores em situação de vulnerabilidade social

A noite de quinta-feira (16) foi especial para Bruna Militão, Giorgia da Silva e Tainna Santos. As três jovens empreendedoras estavam entre as 10 finalistas do Prêmio Baita Empreendedor, disputando o primeiro lugar com outras sete mulheres e três homens, todos moradores de bairros carentes de Porto Alegre.
A divulgação dos três destaques foi realizada durante evento da Associação de Jovens Empreendedores de Porto Alegre (AJE), no Garden Pub da Unisinos. Para chegar até ali, os finalistas tiveram que se diferenciar de outros 180 empreendedores que também participaram do projeto, promovido pela agência Besouro.
É a primeira vez que a iniciativa de premiação aconteceu na capital gaúcha. O projeto se iniciou em agosto do ano passado e oferece apoio e capacitação para que todos sejam capazes de investir em seus negócios.
De acordo Vinicius Mendes Lima, presidente da agência Besouro, é muito importante homenagear os jovens da periferia. "A ideia é empoderar a pessoa que vive em bairros mais pobres, de forma que ela acredite que possa gerar sua própria renda, mesmo sem ter recursos próprios", explicou.
O primeiro lugar foi para Tainna Santos, com o projeto "Mulher não fica empenhada", no segmento de mecânica automotiva. O negócio da jovem de 22 anos consiste em oferecer cursos para mulheres aprenderem a resolver problemas automotivos, sem precisar ir a uma oficina. "O público feminino sente falta desse conhecimento, pois este mercado ainda é muito masculinizado", contou.
Formada em um curso técnico de Mecânica Automotiva, a ideia surgiu após encontrar uma série de dificuldades para se inserir em empregos da área. É por isso que, desde dezembro de 2017, a empreendedora aposta em seu negócio, hoje com agendas lotadas e cursos já marcados em outros estados.
O segundo lugar foi para Giorgia da Silva, com a empresa Mimos & Arts. A jovem é artesã desde os 13 anos e moradora do arquipélago da Ilha da Pintada. Ela resolveu apostar em artesanatos com escamas, em referência ao mar. Sua produção é de brincos, colares, echarpes, tiaras, broches e lembrancinhas.
Atualmente, as vendas ocorrem em feiras. Segundo ela, algo que chama a atenção em seus produtos é o fato de serem todos feitos com escamas, que ela mesmo compra em peixarias do Mercado Público.
O terceiro lugar foi para Bruna Militão, com o brechó La Vie En Rose, no segmento de moda. A jovem foi moradora de rua até os seis anos e hoje reside no bairro Mário Quintana.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio