Nossa repórter conta como esteve a um clique de terceirizar o serviço à toa Nossa repórter conta como esteve a um clique de terceirizar o serviço à toa Foto: FREEPIK/REPRODUÇÃO/JC

Abrir o MEI é grátis! Cuidado com os sites privados que cobram pelo serviço

Eis que fui abrir o registro de Micro Empreendedor Individual (MEI) para meus trabalhos como freelancer. Vamos por passos: a primeira coisa que fiz foi simplesmente digitar "abrir MEI" na página de busca on-line, para encontrar o site do governo onde poderia proceder com o registro.
Para minha surpresa, o site oficial (www.portaldoempreendedor.gov.br) era o quinto resultado da busca. Mas isso eu só descobri depois de - considero - quase ter levado um golpe.
Os quatro primeiros links, todos anúncios, oferecem exatamente o mesmo serviço. O primeiro deles, onde entrei, se chama "Portal mais empreendedor". Achando que era o site oficial do governo, preenchi meu cadastro passo a passo e, ao final, conforme os campos de informações iam me permitindo inserir mais e mais dados, me fora solicitado número de cartão de crédito e em quantas parcelas eu gostaria de pagar uma taxa de R$ 198,00.
Só desconfiei que estas não eram as mensalidades do MEI quando me dei conta dos juros cumulativos, caso eu parcelasse o pagamento. E aí a ficha caiu: estava num site que cobra pelo serviço de abrir o registro, com interface muito semelhante ao site governamental (inclusive no design e tipografia) e que, em letras miúdas, se explica como serviço privado.
Estive a um clique de terceirizar um serviço que foi criado justamente para dar autonomia a quem empreende e desburocratizar o acesso à abertura de empresas. Portanto, achei bom alertar aos futuros empreendedores e freelancers para que repitamos em uníssono: formalizar-se como MEI é grátis pela internet.
As mensalidades são pagas depois: R$ 47,70 (INSS), acrescido de R$ 5,00 para prestadores de serviço ou R$ 1,00 para Comércio e Indústria. As taxas são pagas por meio de carnê, que se obtém no site oficial do governo federal. Não dê bobeira! Por pouco não perdi meus pilas (que, convenhamos, eu não veria de novo nunca mais).
Compartilhe
Comentários ( 3 )
  1. Aléxia

    Olá Roberta! Queria eu ter visto isso antes,acabei caindo nessa armadilha e não sei como proceder agora a empresa quase não retorna meus e-mails, solicitei o cancelamento pedindo o estorno e até agora nada! Me sinto enganada e muito triste, parece que tentar melhorar a vida nesse país é mais difícil do que pensei

  2. Junior

    Adriana, realmente existem pilantras de todos os estilos, estava também preenchendo o meu cadastro MEi e fui cobrado R$ 189,00 aí tomei aquele susto; mas graças a Deus estava lendo muito sobre o assunto e não paguei obs: site https://portalmaisempreendedor.com.br Parabéns pelo post e, ótima iniciativa em ajudar o próximo.

  3. Adriana

    Olá Roberta! Que pena que não encontrei esse seu artigo antes, porque eu cheguei a cair nessa "armadilha", inclusive concluindo o pagamento, acreditando que esta seria uma taxa legítima do Governo para liberação da Inscrição do CNPJ. Como você, acreditei que este era um serviço exclusivo do Governo, especialmente por ser o primeiro portal que aparece quando você pesquisa no Google, o que é um absurdo! Mas felizmente, como eu percebi há tempo, consegui solicitar o estorno do valor pago e manter com a minha inscrição do CNPJ. Mas adorei o seu artigo, que ele sirva para que outras pessoas não caiam nessas "ciladas" da internet. Um abç. Adriana

Publicidade
Mostre seu Negócio