Lojas de souvenires em Londres vendiam as lembrancinhas Lojas de souvenires em Londres vendiam as lembrancinhas Foto: /Mauro Belo Schneider/Especial/JC

Casamento real e empreendedorismo

Estive em Windsor uma semana antes da cerimônia

Nas minhas férias, passei uns dias na Inglaterra, uma semana antes do casamento real. É claro que não perdi a chance de ir até Windsor, cidade onde ocorreu a cerimônia. Voltei convencido de que todos os detalhes da união entre Harry e Meghan foram planejados de forma estratégica. Um prato cheio para quem gosta de empreendedorismo.
Os casamentos reais são oportunidades de negócios para a monarquia, levam milhares de turistas para o Reino Unido, lotando hotéis, pubs e fazendo as lojas de souvenir lucrarem como nunca. Num vídeo que fiz para o site do Jornal do Comércio, mostrei que são vendidos todos os tipos de itens com os rostos dos noivos. Canecas, toalhas de chá, colheres, ímãs de geladeira, anéis, máscaras e por aí vai. Todo mundo quer eternizar a sua participação no momento histórico.
Uma matéria do jornal The Guardian chegou a informar que o casamento gerou um incremento de £ 80 milhões na economia inglesa, ou seja, R$ 400 milhões. A reportagem informa que só a plataforma de aluguéis de estadia Airbnb teria faturado £ 12 milhões (R$ 60 milhões). Saber usar os símbolos locais de um país para gerar turismo, minha gente, é uma ação inteligente. Essa é uma das lembranças que eu trouxe na bagagem - além da caneca do casal, obviamente.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio