Entrevista com José Carlos dos Santos Fonseca, proprietário da Kebaberia Fast Food O jovem de 26 anos José Carlos dos Santos Fonseca é proprietário da Kebaberia Fast Food Foto: MARIANA CARLESSO/JC

Jovem de Rio Grande aposta na Capital como novo endereço de kebaberia

Recém chegado em Porto Alegre, José Carlos dos Santos Fonseca, 26 anos, é proprietário da Kebaberia Fast Food, foodtruck de kebab conhecido na Praia do Cassino, seu antigo endereço. Há duas semanas, a iguaria se encontra num food park na rua Duque de Caxias, nº 710, no Centro Histórico. 
O kebab é um lanche originário do Oriente Médio (conhecido também como shawarma), feito com pão sírio, creme de alho, cebola, batata frita e carne assada. “Eu trouxe a receita mais para o paladar brasileiro, deixei o sabor mais suave”, explica o empreendedor, que atribui os oito anos no mercado a esta sacada.
Natural de Rio Grande, o primeiro contato de José com o prato foi aos 16 anos, no primeiro emprego. Na época, ele trabalhava como funcionário em um estabelecimento de comida árabe. Para aprender mais sobre a culinária, viajou para uma colônia árabe em Foz do Iguaçu, no Paraná. “Fiz um cursinho com o pessoal de lá, com os árabes nativos“, conta. Quando completou a maioridade, o jovem comprou o estabelecimento dos antigos donos. “Eles me facilitaram a compra, me ajudaram muito a correr atrás  e obter o valor”, lembra.
 MARIANA CARLESSO/JC
José comprou o restaurante dos antigos patrões e adaptou a receita ao paladar brasileiro | Foto: MARIANA CARLESSO/JC
Há três anos, a kebaberia Fast Food chegou no modelo atual de negócio, sobre rodas. Antes disso, passou por vários pontos, ainda em Rio Grande, alcançou ápices de reconhecimento na Praia do Cassino e decretou falência após um furto. O investimento na nova fase da jornada foi de R$ 35 mil, da compra da cozinha em rodas à divulgação para estabelecer como negócio. “Nem era truck, era apenas um trailer comum. Esse conceito veio depois”, esclarece o empreendedor.
Sobre as rodas do negócio, José traz sonhos de crescer profissionalmente, quiçá, como franquia. “Eu vim não só para ganhar uma grana. Quero agregar um José a mais, eu ainda sou bem novo, já tenho uma bagagenzinha, mas quero crescer”, expõe o empreendedor, que está disposto a devotar-se ao objetivo. “Quero passar por todas as etapas que sei que tenho que passar e vir para Porto Alegre fazer parte disso”, entende.
Ele oferece opção para vegetarianos, com recheio de falafel, um bolinho frito feito de grão-de-bico, misturado com alho, cebolinha, salsa, coentro e cominho. “Quando a galera prova, se deslumbra. Porque é algo típico, mas, ao mesmo tempo, muito ligado ao paladar brasileiro”, reforça. Os preços variam de R$ 20,00 à R$ 25,00.
Até conquistar a clientela, o empreendedor afirma que sentia uma certa resistência. Após a adaptação da receita, a recepção do público mudou. “Com o tempo, foi-se quebrando o gelo, fui ganhando meu público e comecei a ter um giro bacana, em Rio Grande”, recorda.
MARIANA CARLESSO/JC
Foto: MARIANA CARLESSO/JC
MARIANA CARLESSO/JC
Compartilhe
Comentários ( 8 )
  1. Lucas Caye

    Parabns pela coragem Z, determinao e persistncia o segredo. Legal a sua histria. Muito sucesso. Forte abrao !

  2. Moises Ribeiro

    Parabéns meu irmão não da bola para o que falam besteira segue seu barco para frente e muito sucesso a vc vc merece rapaz batalhador etc Só falam da gente quem tem mente pequena faça tranquilo se precisar estamos ai abraço e parabéns meu irmão . Fica com Deus abraço

  3. Magda

    Meu amigo vou sentir falta de teus kebabs. Te desejo toda sorte do mundo pois garra tu tens. Meu s parabns

  4. Moises Ribeiro

    Parabns meu irmo seja bem vindo a capital assim como me recebeu em Sua cidade RG pode contar comigo aqui na minha cidade ta desejo tudo de bom a sucesso a vc parabns .

  5. William Kanda

    Primeiramente deixar o meu parabns para esse guerreiro! Conheci ele aqui em Rio Grande quando estava no ponto do CCMAR, lanche muito bom com atendimento e simpatia era sempre o pedido certo! Que bom que estas coonseguindo alcanar teus objetivos, toro que de tudo certo, boa sorte na caminhada. S tenho uma reclamao, de no ter mais aqui em Rio Grande. Quem sabe quando expandir por uma franquia aqui, que tal? Kkkk Abrao!!

  6. alexandre

    Muito legal o empreendimento. Toro para o cara se dar bem. Sobre o comentrio do Sr Gilberto, esse o pensamento de muitos no Brasil. Ao inves de incentivar o cara que est trabalhando, ele est criticando. Bem coisa de quem tem pensamento pequeno ou da esquerda burra.

  7. LUIZ

    Gilberto que bom que cada vez menos gente liga pra o amém do poder público hoje em dia. Uma mera autorização que totalmente burocrática, que não assegura nada ao consumidor, somente uma meia dúzia de papéis carimbados e taxas, muitas taxas pagas pra sugar do empresário e engordar o funcionalismo público. Alvará não serve pra nada.

  8. Gilberto Simon

    Boa tarde. Este treiler (e não food truck) no possui alvará. Está funcionando de forma irregular. Que legal n, um jornal fazendo matria com algum que não está licenciado pelo poder público....

Publicidade
Mostre seu Negócio