Sobre o Autor
Entrevista com André Lopes, o "advogado cervejeiro" que se especializou para atender cervejarias. Foto: JONATHAN HECKLER/JONATHAN HECKLER/JC

André Lopes

Criador do Advogado Cervejeiro e sócio do escritório Lopes, Verdi & Távora Advogados

Intraempreendedorismo, por que não tentar?

Empreender nunca é uma tarefa fácil, mas tentar algo novo dentro de uma empresa já existente, processo conhecido como intraempreendedorismo, pode ser ainda mais difícil. A ideia de inovar os processos, mudar as estratégias ou acrescentar diferentes serviços dentro de uma empresa já acostumada a um modelo consolidado de negócios é vista, na maior parte das vezes, com desdém ou até como loucura. Por que tentar reinventar algo que está dando certo há tanto tempo?
Parece exagero, mas há estudos que indicam que quase metade das profissões atuais serão extintas nos próximos 20 anos. Talvez, então, o empreendedorismo e o intraempreendedorismo, consequentemente, podem ser a solução para evitar um mundo cheio de desempregados e de empresas fechando por obsolência.
É difícil e não existe receita pronta, mas resolvi enfrentar: empreender num ramo cheio diretrizes preestabelecidas e séculos de tradição como a advocacia. A tarefa de intraempreender dentro de um escritório de advocacia parece impossível, mas não é. É preciso enxergar oportunidade, investir em preparo e executar. Nenhum projeto empreendedor começa com o sucesso garantido, mas o sucesso só chega aos que dão o passo inicial. O Advogado Cervejeiro, núcleo de assessoria jurídica especializada em Cervejarias Artesanais do escritório Lopes, Verdi & Távora Advogados, surgiu de um desejo meu de empreender sem ter de criar uma outra empresa, já que a intenção era continuar dedicado ao escritório e prestando serviços tradicionais do meio jurídico a outras empresas e pessoas. Organizei as ideias e investi tempo em preparo: fiz um curso sobre empreendedorismo, estudei muito uma temática que já me interessava - a de cervejarias artesanais, apresentei o projeto aos demais sócios e parti para execução, que é a etapa mais difícil de todo processo.
Na dinâmica atual do mercado, esperar o cliente bater à porta, seja no escritório de advocacia ou em qualquer empresa, é sinônimo de estar no precipício esperando um empurrãozinho para cair. As videolocadoras e empresas de filme fotográfico são provas disso. Portanto, é preciso ousar, revolucionar, romper com o status quo e buscar um propósito que, sim, pode ser encontrado dentro da empresa na qual você já trabalha, por mais que sua atividade atual pareça muito tradicional para inovar: como parecia a mim, aos meus sócios e o meio jurídico.
Intraempreender pode ser até mais satisfatório que empreender. Que tal tentar?
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( 1 )
  1. Etivaldo

    Parabens Andre! Sucessos

Deixe um comentário

Publicidade
Mostre seu Negócio