Kennya e Luiz Henrique, de Porto Alegre, chegam a receber 15 pedidos em apenas uma semana Kennya e Luiz Henrique chegam a receber 15 pedidos de customização em uma única semana Foto: FREDY VIEIRA/JC

Casal da Restinga restaura tênis e roupas em prol da acessibilidade

A dupla cobra entre R$ 40,00 e R$ 100,00 para deixar um par novinho em folha

Inspirado em ídolos internacionais do rap e hip-hop, Luiz Henrique Bastos, 22 anos, morador do bairro Restinga, em Porto Alegre, customizou um tênis pela primeira vez há cinco anos. E do que ele reproduzia em seu vestuário, tentando imitar o que via nos clipes da MTV, surgiu a marca Arte Customizando.
"Eu queria poder usar aquelas roupas, mas, por ser de uma família pobre, não tinha nenhuma condição", lembra o jovem. Além disso, os mesmos modelos nem sempre estavam à venda no Brasil. Caso fosse importar, os preços ficariam fora de sua realidade, diz.
Embora pratique a atividade há tempo, Luiz Henrique só transformou o hobby em negócio recentemente."Eu tinha um tênis que desbotou todo. Daí, resolvi desenhar a bandeira dos Estados Unidos. Saía na rua e as pessoas perguntavam onde eu havia comprado", retrata.
A ideia de lançar a empreitada, que oferece serviço de customização de roupas e bolsas também, veio do incentivo de amigos, família e da namorada, Kennya Menna, 17 anos. Ela, inclusive, virou parte do projeto, e é responsável pela área administrativa. "Meus amigos estavam com um plano de realizar fotos com um conceito de empoderamento e me pediram para fazer algumas peças", comenta ele. Após o ensaio, a procura aumentou.
Luiz Henrique destaca que seu trabalho vai muito além de gerar dinheiro. "Assim como eu, há quem não possa consumir esse tipo de roupa, pelo preço nas lojas. Então, agora fica acessível para essas pessoas também", fala ele.
Só na última semana de outubro, o artista recebeu 15 encomendas, o que acabou tomando tempo de Luiz Henrique. Mas é um cansaço bom, que gera orgulho, afirma ele.
Por ser uma técnica artesanal, com tinta acrílica e de tecido, o jovem, muitas vezes, fica até oito horas em cima de uma única peça. Para dar conta de tudo, Kennya faz a organização dos pedidos e das entregas. As personalizações custam entre R$ 40,00 e R$ 100,00.
A marca, atualmente, é a única fonte de renda do casal. Os dois apostam no negócio e pretendem criar uma loja física. Por isso, desde a primeira peça vendida, eles guardam parte do lucro para concretizar o sonho. O fato de a dupla ter uma filha de dois anos coloca ainda mais responsabilidade sobre a Arte Customizando. "Fico feliz com essa conquista, passei dificuldade em casa desde pequeno. Poder dar uma vida melhor para minha filha me deixa aliviado", expõe Luiz.
FREDY VIEIRA/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio