Neka criou a companhia há 25 anos, com uma mochila nas costas Fundadora da Cia Lúdica, Neka Sanford Foto: fotos MARCELO G. RIBEIRO/JC

Cia Lúdica abre nova unidade na Zona Norte de Porto Alegre

O investimento foi de cerca de R$ 1 milhão para inaugurar a operação no Viva Open Mall

Os chamados "mochilões" são, normalmente, montados por aventureiros que visam a longas viagens. Semanas, meses e até anos são despendidos por estes obcecados por distâncias, paisagens e tudo que uma nova jornada pode trazer. Determinada a percorrer um caminho ainda desconhecido, mas com a certeza de que ia dar certo, Neka Sanford, assim como as pessoas descritas acima, carregava seu sonho (e a empresa), a Cia Lúdica, literalmente nas costas. "Comecei com uma mochilinha, fazendo trabalho de recreação", introduz.
"No início, era bem difícil, porque é um trabalho diferente", continua Neka. As escolas, segundo ela, estão acostumadas a atividades de capoeira, música e ballet - as chamadas aulas especializadas. Seu trabalho, no entanto, consiste na junção de várias dessas habilidades específicas, resultando em oficinas lúdicas. "Engloba música, teatro, expressão corporal, movimento. Aulas um pouco diferentes", completa.
Hoje, cerca de 25 anos depois de principiar nessa trajetória, a empreendedora conta com uma equipe de aproximadamente 30 pessoas, atuando em 96 escolas e duas casas de festas. Para a segunda unidade, com 500m², inaugurada recentemente no Viva Open Mall, na Zona Norte de Porto Alegre, cerca de R$ 1 milhão foram investidos. 
A proporção tomada por esse trabalho, realizado há mais de duas décadas, não assusta Neka. Pelo contrário. "Tenho certeza que a gente não vai parar aqui. Temos uma vontade muito grande de fazer", assegura.
MARCELO G. RIBEIRO/JC
Os passos sinuosos que outrora se iniciavam em casa, com a desconfiança do marido, encontraram um caminho mais próximo do retilíneo quando a família foi incluída no negócio. "Ele (marido) me perguntava quando eu iria parar de brincar de empresária", diverte-se com a lembrança. Com o passar do tempo, tanto o companheiro quanto os filhos - e até alguns outros parentes - foram trabalhar com ela.
É com essa equipe cheia de intimidades que a Cia Lúdica mantém uma rotina de festas, aulas, as suas duas operações próprias (a matriz é em Ipanema, na Zona Sul, e fatura mais de R$ 80 mil mensais), shows de sua banda (que já rendeu dois CDs e prêmios), um programa no YouTube, livros autorais e palestras motivacionais. "Um dos nossos lemas é 'transbordar de alegria', e tenho pessoas comigo que conseguem passar essa mensagem", pontua Neka. A criatividade que rendeu todos estes serviços não esgota. "Temos projetos de produtos licenciados com a marca."
MARCELO G. RIBEIRO/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Artigos relacionados
Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio