Entrevista com os empreendedores do Espaço Bela Dança, Bernardo Marin e Laura Moraes. Eles fazem coreografias para casamentos Entrevista com os empreendedores do Espaço Bela Dança, Bernardo Marin e Laura Moraes. Eles fazem coreografias para casamentos Foto: FREDY VIEIRA/FREDY VIEIRA/JC

Casal monta empresa especializada em dança para casamentos

Serviço de Porto Alegre propõe ensinar coreografias elaboradas ou técnicas de improvisação

Muita gente que vai casar sonha com o momento da valsa, e há várias escolas que se propõem a ajudar o casal com aulas de dança de salão. Quem quiser algo a mais ou substituir o clássico por algum ritmo de pop, funk, sertanejo, rock ou eletrônico, como faz? Os administradores e bailarinos Bernardo Marin, 27 anos, e Laura Moraes, 23, criaram o Espaço Bela Dança para atender essa demanda. Eles oferecem treinamentos particulares com coreografias exclusivas - tudo conforme o gosto e a personalidade dos clientes.
A criatividade não tem limites. "Nosso intuito é captar o jeito dos noivos e fazer algo que tenha a ver com eles", explica Laura, que pratica dança desde criança e é formada em Dança pela Ufrgs. Bernardo completa: "não queremos que eles dancem como nós" - o que acaba gerando momentos de emoção e boas recordações.
Os dois, inclusive, ensinam técnicas de improviso, para aqueles que buscam algo mais livre.
Os professores têm cancha para isso. Como duo de dança de salão, Bernardo e Laura já foram premiados no Festival de Dança de Joinville (um dos mais reconhecidos do País), no Brasil Vem Dançar, no Bento em Dança e Sul em Dança, entre outros.
As aulas são de 1h30min de duração, uma vez por semana. A hora-aula parte de R$ 150,00 e o valor é ajustado conforme o pacote contratado, que pode ser de até 30 horas. Alguns encontros são gravados em vídeo para que os noivos se observem e estudem em casa, e Bernardo e Laura também oferecem suporte por WhatsApp. No grande dia, tem ensaio geral no local do evento, tudo para que a dança do casal seja um show à parte - podendo englobar padrinhos, filhos e o que a imaginação permitir.
Mesmo estando na avenida Alberto Pasqualini, nº 320, na Zona Norte de Porto Alegre, boa parte dos casais vêm da Zona Sul e da Região Metropolitana, contam. No ano passado, eles fizeram 35 casamentos - 20 deles nos últimos quatro meses.
O objetivo é, cada vez mais, profissionalizar o serviço. "Queremos fazer cinco coreografias por mês", projeta Bernardo. Além da valsa, uma coisa não mudou: a maior propaganda dos dois ainda é o boca a boca.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio