Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 31 de julho de 2017. Atualizado às 22h05.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

acontece

Notícia da edição impressa de 01/08/2017. Alterada em 31/07 às 16h33min

Jazz na biblioteca pública

Fernando Corona é atração do projeto Chapéu acústico

Fernando Corona é atração do projeto Chapéu acústico


ARQUIVO PESSOAL FERNANDO CORONA/ARQUIVO PESSOAL FERNANDO CORONA/DIVULGAÇÃO/JC
O projeto Chapéu acústico desta terça recebe Fernando Corona Trio, a partir das 19h, na Biblioteca Pública do Estado (Riachuelo, 1.190). A formação é composta por Fernando Corona (teclado e voz), Nico Bueno (baixo) e Mano Gomes (bateria). No show Tudo pode virar jazz, o repertório inclui Villa-Lobos, Lupicínio Rodrigues e até mesmo cantigas de roda e canções folclóricas. Não há cobrança de ingressos, mas será passado um chapéu para contribuições espontâneas.
Natural de Porto Alegre, o pianista, tecladista e compositor Fernando Corona começou sua carreira em 1982. Atualmente, o músico vive no Rio de Janeiro, onde participa de gravações e shows ao lado de Pery Ribeiro, Wanda Sá, Betty Faria, João Suplicy, Tânia Alves, Zezé Motta, Barrosinho, Nalanda e Edu Neves, além de atuar como arranjador e diretor musical do projeto Villa-Lobos in Jazz.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia