Guilherme, Yasmin e Tairon ganharam verba em evento de São Paulo Guilherme, Yasmin e Tairon ganharam verba em evento de São Paulo Foto: JONATHAN HECKLER/JONATHAN HECKLER/JC

Estudantes criam app de bibliotecas comunitárias

O Mapa da Leitura disponibiliza ferramentas de interação entre entidades, voluntários e leitores

Em tempos de pouco espaço de armazenamento nos celulares e muitos aplicativos, foi criado em São Leopoldo mais um que merece um lugarzinho no cartão de memória. Tairon Coelho, 21 anos, Yasmin Wink, 20, e Guilherme Donada, 21, lançaram o Mapa da Leitura, voltado à conexão entre bibliotecas comunitárias, voluntários e leitores. Em aproximadamente três meses do protótipo ao lançamento, cerca de 92 espaços de leitura comunitários, em 14 estados, foram cadastrados na plataforma.
Os dois rapazes são alunos do curso de Engenharia Elétrica da Ulbra, enquanto Yasmin cursa Biblioteconomia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). Tairon e Yasmin, além de namorados, são os precursores da iniciativa. O ponto inicial visava apenas o mapeamento das bibliotecas comunitárias, mas, após pesquisas e conversas, especialmente com a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias, conheceram os problemas que agora o Mapa quer enfrentar. "A gente fez uma pesquisa com as bibliotecas para saber quais eram as maiores dificuldades delas. E a grande necessidade é a de políticas públicas", conta Yasmin.
O aplicativo é gratuito e colaborativo. As bibliotecas têm autonomia para se cadastrarem e gerenciarem seus perfis, assim como participam da sua construção através do menu de sugestões. Os pontos de leitura e bibliotecas rurais também têm espaço no mapeamento da ferramenta. Os leitores, dentro da plataforma, são voluntários, educadores e todos interessados em conhecer ou participar de um desses espaços.
Similar a uma rede social, ao se cadastrar o usuário se torna um leitor e, assim, pode seguir uma biblioteca - o que resulta no recebimento de notificações sobre a agenda cultural daquele local. "As bibliotecas criam muitos eventos em seus espaços, como rodas de leitura, de música, mediação de leitura, entre outras", destaca Guilherme.
Projetando o desenvolvimento do aplicativo, o trio se inscreveu no edital do Campus Mobile 2017. Selecionados entre cerca de 600 outros projetos, durante o mês de janeiro fizeram o protótipo funcional do Mapa da Leitura. A apresentação foi em São Paulo, e rendeu
R$ 1,8 mil para investimentos. Este ano, o grupo terá um espaço de divulgação junto à biblioteca da Feira do Livro, em Porto Alegre.
Entrevista com Tairon Coelho, Yasmin Wink e Guilherme Donada, sobre o aplicativo Mapa de Leitura, que visa conectar bibliotecas comunitárias pelo Brasil.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( 1 )
  1. stella maris mendon

    Boa noite, pessoal! Parabéns pela iniciativa. Precisamos demais de divulgação de apoio. Crio salas de leitura na zona rural de Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, e tive de fechar o Ponto de Leitura Joana Marchiori, que era o único equipamento cultural do local, por falta de apoio da prefeitura de Petrópolis. Precisamos de novos parceiros para a sobrevivência do trabalho. Hoje, o equipamento está guardado em escola municipal que não está aberta para oferecer a biblioteca para a comunidade. Vocês acham que aqui podemos encontrar novas pessoas e locais? Forte abraço, Stella Maris

Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio