André Hendler (e) e Alexandre Reiser fundaram a empresa em 2008 André Hendler (e) e Alexandre Reiser fundaram a empresa em 2008 Foto: JC

Empresa de Porto Alegre se consolida por oferecer suporte para quem quer abrir uma cafeteria

Há nove anos no mercado, a Andorra já ajudou a montar mais de 2 mil estabelecimentos em todo o Estado

Cafeteiras, refrigeradores, microondas, balcões, utensílios, louçaria, suprimentos, assistência técnica, consultoria e treinamentos. Com nove anos no mercado, a Andorra migrou de uma loja que vende máquinas de café para uma empresa referência de quem deseja abrir uma cafeteria. A loja, na avenida Pernambuco, n° 1803, em Porto Alegre, atende também qualquer estabelecimento que tenha máquinas ou espaços de café e, recentemente, começou a investir em equipamentos para uso doméstico.
Para quem quer locar os equipamentos, é oferecido um pacote com serviços, como assistência técnica do maquinário e consultoria para criação do cardápio e posicionamento da empresa. A montagem de uma cafeteria de pequeno porte é calculada em cerca de R$ 50 mil.
A Andorra também abriga um centro de treinamento, onde são realizados cursos que instruem como utilizar os equipamentos e preparar café, assim como técnicas de decoração da bebida, chamada de latte art. As aulas são ministradas individualmente ou em grupos por baristas e técnicos. Empresas de outros Estados vão até a operação para treinarem seus colaboradores.
Alexandre Reiser, 45 anos, e o cunhado André Hendler, 35, decidiram fundar a marca em janeiro de 2008, logo após se recuperarem de um acidente automobilístico sofrido junto à família. “Naquele momento eu resolvi que já era hora de colocar o sonho da minha vida em prática, ter o próprio negócio”, conta Alexandre.
Há um tempo ele gerenciava o setor comercial de uma revendedora de máquinas de café, e contava com André em sua equipe. Unindo a experiência de ambos, resolveram investir no mercado porque identificaram necessidades a serem sanadas. “Não existia empresas que vendessem todos os equipamentos, e também oferecessem serviços e treinamentos. Então, resolvemos fazer com que a nossa loja fosse a mais completa da região sul”, explica André.
Os sócios começaram vendendo apenas máquinas de café e, com o tempo, foram agregando novos equipamentos, o leque de serviços e, por fim, os treinamentos. O investimento inicial de R$ 300 mil saiu do bolso, ou melhor, da casa de Alexandre – que precisou ser vendida, e de parte da herança familiar de André. Com o valor, foi possível comprar as primeiras 33 máquinas e estruturar a primeira loja de 180m².
Hoje, a Andorra fica em um ambiente de 450m² e conta com 25 funcionários. No começo, quem tocavam todas as tarefas eram só os sócios e suas esposas. Após nove anos de funcionamento, a empresa já auxiliou na montagem de mais de 2 mil estabelecimentos em todo o Estado e, atualmente, atende cerca de 500 clientes.
Ao olhar para o caminho percorrido, André, que foi jogador de futebol antes de entrar para o ramo – trabalhou no Grêmio e em clubes europeus, avalia que a decisão pelo empreendedorismo foi positiva. “Me sinto muito feliz porque foi uma aposta muito assertiva, mas nada caiu do céu. Tudo teve suor e trabalho”, pondera. Alexandre também concorda com o sucesso do negócio e julga que muito se deve ao bom relacionamento com o sócio. “É a realização de um sonho que deu certo, justamente com a escolha da parte societária. Mas continuo sempre a busca de aperfeiçoamento pessoal e profissional”, declara.
na foto: alguma das máquinas de preparo do café disponiveis
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio