Rodrigo e Clarissa tiveram a ideia na Hungria Rodrigo Gobbi e Clarissa Fensterseifer são sócios da Pedazzo que aposta em pizzas em pedaços só para comer no local Foto: JONATHAN HECKLER/JC

Pizzarias artesanais abrem como opção de almoço no Centro Histórico de Porto Alegre

Ambas priorizam a venda em fatias para facilitar a vida de quem deseja um lanche rápido

Uma pedida que ocorre no Centro Histórico para o meio-dia atualmente é a pizza. Há quatro meses foram inauguradas duas pizzarias artesanais na região, ambas com foco no almoço e venda em pedaços, à distância de três quadras uma da outra. A Il Pomodorino fica na Rua Fernando Machado, nº 583, enquanto a Pedazzo está na Av. Borges de Medeiros, nº 973. Vamos a elas:
Il Pomodorino foca na proximidade com o cliente
 Entrevista com Rogério Mozar Ozório da Rosa Júnior, proprietário da pizzaria iL Pomodorino, que vai falar sobre a abertura do negócio.
Rogério é o responsável pela produção das pizzas artesanais
Os amigos de infância, Rogério da Rosa Jr., 39, e Neverton Meneghetti, 44, sempre quiseram montar um negócio juntos, desejo que se materializou na pizzaria Il Pomodorino. O empurrão para o investimento de R$ 50 mil foi quando o prédio com fachada antiga onde está a pizzaria, foi colocado para locação. “Eu queria muito que fosse aqui, porque tem tudo a ver conosco. Por ser pequeno traz intimidade, e a fachada antiga lembra um pouquinho da Itália”, explica Rogério.
Ele, que é chefe de cozinha, trabalhou em muitos restaurantes - inclusive na Europa, onde teve maior contato com a culinária italiana e aprendeu a cultura de comer pizza no almoço. “Tem vários países que consomem em qualquer horário, aqui ainda ligamos muito a pizza ao lanche da noite”, diz.
A proposta dos sócios é que a produção priorize o cuidado artesanal e, o atendimento, a atenção especial aos clientes. Desta forma, os horários de atendimento foram se expandindo aos poucos: logo que inaugurou, a pizzaria só funcionava para almoço; depois passou a abrir à noite e agora funciona aos sábados. Hoje, atende de quarta a sexta, das 12h às 14h, e aos sábados, das 12h às 21h.
Como ainda estão em processo de estruturação, a Il Pomodorino ainda não trabalha com tele-entrega, apenas tele-busca, e também oferece opção de pizza inteira, que varia de R$ 45,00 a R$ 55,00. As fatias ficam entre R$ 8,50 e R$ 10,00, conforme os sabores – que podem variar de acordo com os ingredientes da estação.
Para abrir o restaurante, Rogério revela que chegou a fazer estudo de mercado para saber se teria público, e apesar de a resposta ser afirmativa, se surpreende pela procura, chegando a vender cerca de 50 pedaços apenas no almoço de uma sexta-feira, nestes primeiros meses. “Percebemos também que ao meio-dia saem mais pedaços e à noite, mais pizzas inteiras”, pondera Neverton, que é responsável pelo atendimento, enquanto o outro sócio dá conta da produção.
Pedazzo aposta em ponto estratégico
 Entrevista com os sócios da Pedazzo, pizzaria que abriu no centro com foco em almoços.     na foto: Rodrigo Gobbi e Clarissa Fensterseifer
Enquanto Rodrigo faz as massas artesanais, Clarissa faz o molho especial - que é receita de família
Antes de abrir a Pedazzo, o pizzaiolo Rodrigo Gobbi, 30 anos, passou alguns dias em frente à loja para tentar perceber o movimento e, no fim, concluiu que “se 1% das pessoas que passassem na frente, entrassem, o negócio teria sucesso”, conta. E deu certo. “Na hora do almoço atendemos mais o pessoal que trabalha no centro. No final da tarde, vêm muitos estudantes que estão indo para a faculdade. E no começo da noite, é a vez dos moradores”, revela a sócia Clarissa Fensterseifer, 36.
A ideia de oferecer pizza no almoço surgiu ano passado, quando o casal passava a lua de mel na Hungria. “Estávamos com pressa e fome, então vimos uma pizzaria, que era tudo o que a gente precisava naquele momento. A partir daí, não tiramos da cabeça a vontade de fazer uma no Brasil”, explica Clarissa.
Atendendo em horário comercial, de segunda a sexta das 12h às 20h30, a Pedazzo já vendeu mais de 40 pedaços em apenas um almoço. Se continuar neste ritmo, a expectativa é de ter o retorno do investimento de R$ 60 mil em até um ano. Hoje são oferecidos dez sabores, que variam entre R$ 6,00 e R$ 9,00. O serviço de tele-entrega ainda não está disponível, mas o local possui estrutura para acomodar 25 pessoas.
Apesar de não terem divulgado o lançamento, os sócios surpreenderam-se com a procura. “O pessoal está vindo pelo boca a boca, e tem muitos que vêm diariamente”, conta Rodrigo. Porém, a demanda também fez com que o casal adaptasse o negócio para dar conta de tudo. O plano era que apenas o pizzaiolo trabalhasse na loja, e Clarissa ajudaria nas horas vagas. Com o movimento, ela precisou tirar férias do emprego atual para botar a mão na massa.
Como ambos começaram sem funcionário, precisam seguir uma rotina rígida para que tudo dê certo. Pela noite e manhã Rodrigo faz as massas do almoço, enquanto ela faz o molho – receita de família, e depois são preparados os pedaços para serem assados na hora. O objetivo deles é que Clarissa não largue o emprego até o negócio estar mais sólido. Apesar do volume de trabalho, ainda dá tempo de pensar em projetos futuros, como abrir para franquias e produzir uma linha de pizzas congeladas.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( 2 )
  1. Ana Beatriz Gobbi

    Adorei ve-los e saber do sucesso da Pedazzo. Parabns aos 2.

  2. Eduardo Koetz

    Ja provei a pizza do Rogrio e sensacional. Vale muito!!

Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio