Janaína Pasin e Laís Ribeiro criaram plataforma on-line e contam com produção de fornecedores locais Janaína Pasin e Laís Ribeiro criaram plataforma on-line e contam com produção de fornecedores locais Foto: FREDY VIEIRA/JC

O amor pode ser simples: e-commerce gaúcho vende vestidos de noiva a partir de R$ 279,90

Proposta vai contra a indústria superfaturada de produtos e serviços para casamentos

O amor pode ser simples? Nem sempre. Ultimamente, os itens que compõem um casamento estão cada vez mais caros. Foi contra esta lógica que as amigas Laís Ribeiro, Natália Pegoraro e Janaína Pasin criaram O Amor é Simples, e-commerce de vestidos de noiva com modelos básicos a preços acessíveis. Elas perceberam que, para não gastar tanto, havia muita noiva por aí se aventurando em sites chineses - como AliExpress - para adquirir o vestido.
A própria Laís, na época de sua festa, não encontrou uma opção bonita e em conta para uma cerimônia simples. "Para se casar, não é preciso ter uma indústria por trás. Pode ser uma celebração bonita e íntima. Além do mais, nem todo mundo quer casar na igreja, com um vestidão e tudo mais", comenta.
As sócias contam que, no meio disso, há também o lado de quem desanima em cumprir o rito pela convenção de ser muito caro e acaba não fazendo nada. "A gente acha que tudo isso pode ser desconstruído. E é muito legal ver que muita gente concorda com a nossa postura. Uma cliente já disse que salvamos o casamento dela", conta Janaína.
Atualmente, o modelo mais barato custa R$ 279,00, e o mais caro, R$ 879,90. Elas têm vestidos curtos e compridos, com rendas ou lisos. No site, há uma tabela de medidas para as clientes efetuarem o pedido.
Para todo o País, o período de entrega é de 18 dias, pois o vestido é produzido a partir da demanda no site. O frete é grátis para quem efetua o pagamento via depósito bancário.
Na loja on-line, há opções de acessórios para o cabelo, coroas de flores e itens de decoração. A cliente pode solicitar uma amostra dos tecidos também.
Há um ano no ar, o e-commerce teve seis meses de gestação. Com investimento próprio de R$ 10 mil para tirar a empresa do papel, o crescimento foi de 300% em relação a setembro do ano passado.
São as sócias que fazem os briefings dos vestidos, produzidos em dois ateliês de costura de Porto Alegre. Quando o modelo é aprovado, o estoque de tecidos é comprado e a divulgação começa. Tarefa fácil: Natália e Laís já trabalhavam com marketing digital, o que favoreceu a própria empresa.
Janaína, por sua vez, cuida da parte financeira. Elas optaram por contratar uma plataforma pronta para iniciar o e-commerce. Como a ideia é ampliar o estoque de modelos e aprimorar as operações, o próximo passo em andamento é a migração para uma plataforma própria. A carência é a de todo empreendedor: investimento.
"A gente já sabe que neste mercado, e com a nossa proposta, o céu é o limite para o crescimento. Agora, já temos o know-how necessário para tocar o negócio, e o processo produtivo está ok. Então, um investidor-anjo viria muito bem a calhar", expõe Laís.
Como é comum no e-commerce brasileiro, o primeiro lugar em vendas fica para o estado de São Paulo. E um detalhe que chama atenção: ainda que a empresa esteja no Sul, há mais clientes nordestinos do que conterrâneos no www.oamoresimples.com.br.
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio