Porto Alegre, quarta-feira, 13 de novembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
30°C
28°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1890 4,1910 0,55%
Turismo/SP 4,1300 4,3900 0,45%
Paralelo/SP 4,1400 4,3800 0,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
684375
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
684375
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
684375
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Crédito 26/07/2012 - 11h32min

Estoque de crédito cresce 1,5% em junho

O estoque das operações de crédito do sistema financeiro cresceu 1,5% em junho na comparação com maio, segundo dados divulgados pelo Banco Central (BC). Com a evolução, o estoque das operações alcançou R$ 2,167 trilhões no fim do mês passado. No acumulado do trimestre, a carteira cresceu 4,5%, e nos seis primeiros meses do ano, o aumento foi de 6,8%. Em 12 meses até junho de 2012, o total de operações de crédito registrou expansão de 17,9%.

Segundo o BC, entre as operações que mais cresceram no mês passado, estão os créditos para governos estaduais e municipais, que aumentaram 3,1% em um mês, para R$ 43,498 bilhões, e o financiamento para a habitação, que avançou 2,8%, para R$ 235,443 bilhões.

O BC informou ainda que o total das operações de crédito em relação ao PIB atingiu em junho 50,6%, maior que os 50,1% observados em maio.

Inadimplência

A inadimplência nas operações de crédito caiu em junho para 5,8%. O patamar é inferior à taxa de 5,9% registrada em maio e idêntica à observada nos meses de fevereiro e abril. O recuo dos atrasos superiores a 90 dias nos financiamentos aconteceu tanto para os consumidores quanto nos empréstimos para as empresas.

Na média, a inadimplência na pessoa física caiu de 7,9% em maio para 7,8% em junho. Entre as várias operações desse segmento, houve queda do indicador em aquisição de veículos, cuja taxa de inadimplência caiu de 6,1% para 6,0%, no período. Entre as outras linhas apresentadas no relatório do BC, não houve queda. No cheque especial, a inadimplência subiu de 11,3% para 11,6%; na aquisição de outros bens, o calote cresceu de 13,9% para 14,1% e, no crédito pessoal, a taxa ficou estável em 5,7%. Na pessoa jurídica, a inadimplência média no crédito livre, oscilou de 4,1% em maio para 4,0% em junho, retornando ao patamar de janeiro de 2012.

Veículos

O total das operações de crédito para compra de veículos entre as pessoas físicas voltou a crescer com mais força em junho e aumentou 1,4% no mês passado ante maio. O total da carteira de crédito pessoa física do segmento automotivo atingiu R$ 202,740 bilhões no fim do mês passado. No ano, o montante cresceu 0,9%, e acumula expansão de 4,3% em 12 meses até junho.

Por segmento, a expansão das operações aconteceu exclusivamente nos financiamentos conhecidos como CDC, cujo montante cresceu 2,1% no mês passado. Já as operações de arrendamento mercantil, o leasing, tiveram contração de 4,5%.

O BC informou também que o total de financiamentos para as pessoas físicas no segmento habitacional avançou 2,8% em junho ante maio e alcançou R$ 235,443 bilhões. No ano, essa carteira cresceu 17,4% e acumula alta de 40,6% em 12 meses até junho.

Média diária

A média diária de novos empréstimos concedidos pelo sistema financeiro às empresas e aos consumidores cresceu com força no mês passado. Dados do BC mostram que na média esse valor cresceu 6% em junho ante maio e alcançou R$ 10,044 bilhões no mês passado. Na comparação com junho de 2011, o valor é 12,4% maior.

Segundo o BC, os empréstimos para pessoas físicas lideraram a expansão das operações do mês passado, com média diária 6,4% maior que em maio. Com esse desempenho, bancos e financeiras emprestaram média de R$ 4,002 bilhões a cada dia de junho às pessoas físicas.

Nas operações para empresas, a média diária de novas concessões cresceu 5,7% ante maio e atingiu R$ 6,042 bilhões.

Juro médio

O BC também informou que o juro médio do crédito livre ficou em 31,1% em junho, ante 32,9% em maio. Foi o quarto mês seguido de redução da taxa na comparação com o mês anterior. Em fevereiro, o juro médio estava em 38,1%. A taxa média do crédito livre para pessoa física recuou de 38,8% em maio para 36,5% em junho e, no ano até junho, acumula uma queda 7,3 pontos porcentuais.

Já a taxa média do crédito livre para pessoa jurídica recuou de 25% em maio para 23,8% em junho e, no ano até junho, acumula baixa de 4,4 pontos porcentuais.

A queda dos juros no mês passado foi influenciada principalmente pela redução do spread bancário. O spread médio do crédito livre em geral caiu de 24,7 pontos porcentuais em maio para 23,2 pontos porcentuais em junho. No ano até junho, a queda é de 3,7 pontos porcentuais.

O spread para pessoa física caiu de 30,5 pontos porcentuais em maio para 28,5 pontos porcentuais em junho. Já o spread para pessoa jurídica caiu de 16,8 pontos porcentuais em maio para 15,9 pontos porcentuais em junho. No ano até junho, o spread para pessoa física recuou 5,2 pontos porcentuais e para a pessoa jurídica caiu 2,0 pontos porcentuais.

O recuo do spread médio geral no crédito livre no final do segundo trimestre de 2012 em relação ao verificado no final do primeiro trimestre, em março deste ano, foi de 4,8 pontos porcentuais. A queda mais significativa foi registrada nas operações para pessoa física, com o spread declinando 6,6 pontos porcentuais na mesma base de comparação. Para pessoa jurídica, o spread no mesmo período caiu 2,5 pontos porcentuais.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Crédito para veículos para pessoa física cai 1,3% em agosto, diz BC
O total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 168,695 bilhões no mês passado - em julho, o volume foi de R$ 171,003 bilhões
Volume de cheques devolvidos tem maior nível para agosto em 24 anos, diz Serasa
O porcentual de documentos que não foi compensado por falta de fundos foi de 2,11% no oitavo mês deste ano, sendo o mais elevado desde o início do levantamento, em 1991
Quatro em cada dez pequenos empresários dizem que crédito está difícil no Brasil
Levantamento apontou que entre esses empresários pessimistas em relação à obtenção de crédito, 40% apontaram a burocracia como principal barreira, seguida pelas altas taxas de juros
Crédito de banco de montadoras para financiamento de veículos sobe 4,31%, segundo Anef
Os recursos liberados por bancos de montadoras para financiamento de veículos totalizaram R$ 8,081 bilhões em julho deste ano