Porto Alegre, quarta-feira, 13 de novembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
30°C
28°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1800 4,1820 0,33%
Turismo/SP 4,1300 4,3900 0,45%
Paralelo/SP 4,1400 4,3800 0,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
520335
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
520335
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
520335
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Crédito 26/07/2012 - 11h30min

Abecip reduz projeção de alta do crédito imobiliário

A Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip) diminuiu em 7,7% a estimativa de crescimento do crédito imobiliário em 2012. Com isso, a entidade espera que o volume de financiamentos chegue a R$ 95,9 bilhões até o fim do ano, ante previsão anterior de R$ 103,9 bilhões. De acordo com a nova estimativa, o crédito imobiliário em 2012 deve ter uma alta de 20% em relação a 2011, quando o volume de financiamentos chegou a R$ 79,9 bilhões.

O presidente da Abecip, Octávio de Lazari Junior, lembrou que, desde o início do ano, houve queda nas expectativas de crescimento da economia brasileira para 2012. Segundo dados do boletim Focus, do Banco Central, a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) em janeiro era de 3,3%, caindo para 1,9% em julho.

Previsão de melhora no crédito no segundo semestre

Lazari atribuiu a desaceleração no volume de financiamentos imobiliários ao longo de 2012 ao menor crescimento da economia brasileira, associado à redução no total de novos empreendimentos lançados pelas incorporadoras ao longo do primeiro semestre. "As incorporadoras se voltaram para si mesmas e concluíram que não poderiam crescer no mesmo ritmo. Os últimos balanços mostram que elas foram penalizadas", disse.

Nos últimos 12 meses encerrados em junho, segundo a Abecip, o volume de financiamentos chegou a R$ 79,954 bilhões, equivalente a um avanço de 15,3%. Os dados acumulados dos últimos 12 meses mostram que os financiamentos passam por uma desaceleração desde o início de 2012. Em janeiro, a alta acumulada em 12 meses foi de 39,6%, passando para 31,0% em março e 20,1% em maio.

Já para a segunda metade do ano, Lazari acredita que o crédito imobiliário deve apresentar uma melhora, com boa parte do volume de lançamentos de projetos das incorporadoras concentrado nesse período. "Vamos acompanhar os próximos lançamentos. O segundo semestre deve ser melhor", disse.

Lazari avaliou que o ciclo de redução das taxas de juros já foi sentido no setor, com forte queda dos juros dos financiamentos concedidos pelos bancos públicos - Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. Questionado, ele acredita que os bancos privados também já têm condições de baixar os juros. "Na prática, isso já está acontecendo. Nos últimos seis meses, houve redução", ponderou, estimando a possibilidade de novas quedas nas taxas das instituições privadas. "O comprador de imóveis faz um comparativo entre as taxas e mostra disposição em negociar", disse.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Crédito para veículos para pessoa física cai 1,3% em agosto, diz BC
O total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 168,695 bilhões no mês passado - em julho, o volume foi de R$ 171,003 bilhões
Volume de cheques devolvidos tem maior nível para agosto em 24 anos, diz Serasa
O porcentual de documentos que não foi compensado por falta de fundos foi de 2,11% no oitavo mês deste ano, sendo o mais elevado desde o início do levantamento, em 1991
Quatro em cada dez pequenos empresários dizem que crédito está difícil no Brasil
Levantamento apontou que entre esses empresários pessimistas em relação à obtenção de crédito, 40% apontaram a burocracia como principal barreira, seguida pelas altas taxas de juros
Crédito de banco de montadoras para financiamento de veículos sobe 4,31%, segundo Anef
Os recursos liberados por bancos de montadoras para financiamento de veículos totalizaram R$ 8,081 bilhões em julho deste ano