Porto Alegre, quinta-feira, 23 de setembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
212669
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
212669
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
212669
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

ELEIÇÕES Notícia da edição impressa de 20/07/2012

Partidos começam a gravar para rádio e TV

Denise De Rocchi

MARCELO ANTUNES/DIVULGAÇÃO/JC
Das primeiras a iniciar gravações, campanha do PT valorizou lideranças
Das primeiras a iniciar gravações, campanha do PT valorizou lideranças

Faltando um mês para o início do horário eleitoral gratuito em rádio e TV, a maioria dos partidos está na fase de elaboração de roteiros e registro de imagens das agendas de campanha, mas ainda não iniciou a edição dos programas eleitorais na Capital. Nesta etapa, ter direito a mais minutos para propaganda pode não parecer tão vantajoso, já que exigirá mais tempo e dinheiro. O custo para produzir vídeos de um minuto em quantidade suficiente para chegar ao fim da campanha chega aos R$ 100 mil. Os partidos menores são os que mais sentem esta dificuldade financeira, por terem participação menor no fundo partidário e geralmente atraírem menos doadores de campanha. Para compensar os recursos mais escassos, uma das saídas é contar com o trabalho de profissionais ligados ao partido e que doam seus serviços.

O P-Sol já começou a gravar os programas, mas está usando uma equipe própria para a campanha de Roberto Robaina em vez de contratar uma produtora. O PSTU segue o mesmo caminho: “Não temos contribuição de empresas, mas com muita contribuição dos militantes vamos fazer um programa de boa qualidade”, garante o candidato a prefeito Érico Corrêa, que estima em R$ 10 mil o custo dos programas, já que algumas etapas da produção terão que ser terceirizadas.

O PSL não sabe ainda qual será o custo, pois deve definir nesta sexta-feira os detalhes dos programas de rádio e TV com a Purple, agência que está fazendo a campanha para a legenda. O partido terá um minuto e 27 segundos no horário eleitoral, mas o candidato Jocelin Azambuja confia que possa ganhar mais 20 segundos, se for aceito recurso contra a inclusão de parlamentares que migraram para o PSD na partilha do fundo partidário e do tempo de rádio e TV.

O coordenador de campanha do PT, Gerson Almeida, afirma estar satisfeito com os sete minutos que a coligação terá: “vai dar um programa redondo, bem feito, acho que tempo demais torna difícil fazer um programa que não fique chato”. A coordenação e a Dez Propaganda trabalham, no momento, nos roteiros e na captação de imagens das primeiras atividades de campanha.

O PCdoB e o PDT também estão registrando as visitas dos candidatos pelos bairros da cidade e organizando o roteiro dos programas. A equipe de Manuela d’Ávila pretende iniciar a edição dos programas no fim do mês e estuda um formato diferente para a gravação dos programas dos candidatos a vereador, que seja mais atraente para o espectador e o ouvinte. A campanha de José Fortunati já está apresentando alguns vídeos em sites. Os primeiros programas a serem editados serão os da eleição proporcional e a equipe de trabalho será formada principalmente por profissionais com experiência em jornalismo, segundo o coordenador de marketing, Marcos Martinelli. A coordenação da campanha de Wambert di Lorenzo, candidato pelo PSDB, está montando a equipe responsável pelos programas eleitorais. A expectativa é de fechar o grupo de trabalho na próxima semana e nos dias seguintes iniciar a produção dos roteiros e gravação para rádio e TV. O horário eleitoral gratuito será veiculado entre os dias 21 de agosto e 4 de outubro, com duas edições diárias no rádio e na TV. Os candidatos a prefeito apresentam suas propostas nas segundas, quartas e sextas-feiras, e os candidatos a vereador nas terças, quintas e sábados.

COMENTÁRIOS
Flavio BR - 20/07/2012 - 10h32
O TRE deveria estabelecer um formato padrão de imagem para não haver abuso de poder economico.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Lewandowski rebate Cunha e reafirma que normas sobre doação valerão em 2016
Segundo o presidente do STF, a decisão do Supremo será aplicada em 2016 sem que sejam possíveis questionamentos jurídicos sobre a questão
TSE perdoa multa de José Serra
A então relatora, ministra Nancy Andrghi, multou José Serra e Roberto Jefferson em R$ 5 mil cada, além de multar o PTB em R$ 7,5 mil
Partidos intensificam as articulações para 2016
Ao menos 10 legendas cogitam lançar candidato próprio em Porto Alegre
OAB pede que Supremo proíba financiamento empresarial de campanha já em 2016
OAB protocolou ação cautelar no STF para proibir o financiamento empresarial de campanha já nas eleições municipais de 2016