Porto Alegre, quinta-feira, 23 de setembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
183579
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
183579
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
183579
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Eleições 18/07/2012 - 21h24min

Senadora do PP-RS anuncia apoio a Manuela

A senadora Ana Amélia Lemos (PP/RS) anunciou nesta quarta-feira que vai se licenciar por quatro meses do diretório municipal do partido em Porto Alegre para apoiar a deputada federal Manuela D'Ávila (PCdoB) na disputa pela prefeitura da capital gaúcha. A decisão, revelada em entrevista coletiva pouco antes de uma palestra na Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Sul (Federasul), toma caminho diferente do escolhido pela sigla, que está na aliança do prefeito José Fortunati (PDT), candidato à reeleição. Ao mesmo tempo, a parlamentar cumprirá extensa agenda de campanha para dar força às candidaturas do próprio PP no interior do Rio Grande do Sul.

"Como meu partido decidiu ficar na aliança com o atual prefeito, eu respeito essa posição, mas vou fazer cumprir o que minha consciência de cidadã me recomenda, que é trabalhar pela candidatura da Manuela", explicou Ana Amélia, que entrou em acordo com a direção estadual do partido para fazer sua opção. Para cumprir as exigências da legislação eleitoral, a senadora participará da campanha da comunista em redes sociais, comícios e visitas a comunidades. A primeira atividade conjunta seria a inauguração de um comitê suprapartidário de apoio a Manuela na noite desta quarta-feira.

No interior aparecerá em todas as atividades, inclusive nos programas de rádio e televisão, pedindo votos para os candidatos do PP. O partido tem 146 das 497 prefeituras gaúchas e acredita que vai aumentar o número com a força de Ana Amélia, eleita senadora em 2010, mesmo ano em que ingressou na política.

A posição da parlamentar também pode ser um movimento de olho em 2014. Embora negue que vá concorrer, Ana Amélia é tida como potencial candidata do PP para voltar ao governo do Estado, que o partido comandou pela última vez entre 1983 e 1986, com Jair Soares. Além de contar com apoios certos de siglas como o PMDB, PSDB e PPS se for para o segundo turno, a senadora poderá tentar atrair o PC do B, hoje um dos principais aliados do governador Tarso Genro (PT), que vai tentar a reeleição.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Lewandowski rebate Cunha e reafirma que normas sobre doação valerão em 2016
Segundo o presidente do STF, a decisão do Supremo será aplicada em 2016 sem que sejam possíveis questionamentos jurídicos sobre a questão
TSE perdoa multa de José Serra
A então relatora, ministra Nancy Andrghi, multou José Serra e Roberto Jefferson em R$ 5 mil cada, além de multar o PTB em R$ 7,5 mil
Partidos intensificam as articulações para 2016
Ao menos 10 legendas cogitam lançar candidato próprio em Porto Alegre
OAB pede que Supremo proíba financiamento empresarial de campanha já em 2016
OAB protocolou ação cautelar no STF para proibir o financiamento empresarial de campanha já nas eleições municipais de 2016