Porto Alegre, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7700 3,7720 0,37%
Turismo/SP 3,7300 3,9300 0,51%
Paralelo/SP 3,7400 3,9400 0,51%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
809047
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
809047
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
809047
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Aviação 06/07/2012 - 14h49min

Pluna cancela voos no Rio e deixa passageiros sem informações

Agência O Globo

MIGUEL ROJO/AFP/JC
Aviões da Pluna estão parados no Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu
Aviões da Pluna estão parados no Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu

A companhia aérea uruguaia Pluna foi liquidada e não decolará a partir desta sexta-feira (6), mas seus passageiros ainda estão no ar, com informações escassas. Quem tem voo programado para o dia e procura os balcões da Infraero em aeroportos por todo o Brasil é orientado a telefonar para a central de atendimento da Pluna — cujo número é (11) 3711-9158. Tampouco a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou qual procedimento será seguido para evitar prejuízos aos passageiros.

No aeroporto do Galeão, no Rio, passageiros da empresa aguardam indignados a chegada a de funcionários da companhia aérea que deixaram tanto o balcão de informações quanto o de check-in vazios. Segundo funcionários Orbital, empresa que presta serviços à compahia aérea como terceirizada, a equipe da Pluna está reunida no próprio aeroporto para decidir como os passageiros serõa realocados. "Chegamos aqui e não tinha ninguém. Também não recebemos nenhuma informação da empresa por email", disse Carla Biesinger, 25 anos, alemã que estava de férias no Rio de Janeiro e ia embarcar às 14h15, no voo do Pluna para Buenos Aires, com escala em Montevidéu.

O taxista Arnaldo Santos, de Santa Catarina, também aguarda definições da empresa. Ele ia viajar ontem pela Pluna para Santiago do Chile, mas por problemas com documentação o voo foi transferido para esta sexta-feira, pela companhia aérea LAN. Mas a LAN informou que não está aceitando bilhetes da Pluna. "A Pluna vai ter que dar um jeito e me colocar num outro voo", disse Santos, que está acompanhando o filho a uma competição de natação no Chile.

Segundo o Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), uma passageira que viajaria às 8h45m à Montevidéu conseguiu ser realocada em um avião da LAN após reclamar ao Juizado Especial do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio. A queixa não gerou processo porque a Pluna conseguiu a realocação rapidamente, segundo o TJ-RJ.

De acordo com a Infraero, os seis voos da rota da Pluna entre Montevidéu e o Rio (três chegadas e três partidas) programados para esta sexta foram cancelados. No Aeroporto Internacional de Guarulhos, em, São Paulo, os nove voos de hoje também foram cancelados.

O governo uruguaio decidiu na quinta-feira liquidar a companhia aérea Pluna, que anunciou a suspensão de todos os seus voos por conta dos sérios problemas financeiros que a empresa enfrenta. De acordo com comunicado da companhia, os voos serão suspensos nesta sexta-feira ao meio-dia, no horário de Brasília. A Pluna tem uma frota de 13 aviões Bombardier CRJ900 Nextgen que conecta Montevidéu a cidades de Argentina, Brasil e Chile. "A situação econômico-financeira da empresa torna impossível garantir uma operação adequada", indicou a companhia por meio de um comunicado, no qual esclareceu que a suspensão dos voos é de "indefinidamente."

O Estado uruguaio é o único administrador da Pluna desde meados de junho, quando o fundo de investimento que detinha 75% da companhia abandonou sua participação após se negar a capitalizá-la. Uma agência estatal controlava a fatia de 25% restante. "A empresa era insolvente e sua situação atual está muito comprometida. Não se pode financiar a operação, não há liquidez, e nesta situação (a companhia aérea) não pode continuar voando", disse à Reuters a fonte do Poder Executivo sob condição de anonimato.

Está previsto que o Conselho de Ministros elabore na segunda-feira um projeto de lei que contemple um chamado aos interessados para criar uma nova companhia aérea com participação estatal, uma proposta que conta com o aval do presidente do Uruguai, José Mujica. O governo uruguaio buscou um sócio para injetar fundos na problemática companhia aérea, mas seus esforços fracassaram. A petroleira estatal Ancap ameaçou várias vezes cortar o abastecimento de combustível à empresa por falta de pagamento.

O plano do governo uruguaio era tentar fechar um acordo com a empresa canadense JazzAir, que segundo a imprensa uruguaia já teria desistido da negociação, ou com o empresário Juan Carlos López Mena, dono da pequena companhia aérea Buquebus (BQB), mas que detém o controle. Se isso não for possível, o governo pretende recuperar parte do dinheiro investido na empresa vendendo seus ativos, como os aviões.

Questionado pelo semanário Búsqueda sobre qual seria o destino da companhia aérea, o presidente uruguaio José Mujica se limitou a dizer: "O presidente não é partidário de continuar perdendo dinheiro".

A Pluna registrou prejuízo de mais de US$ 100 milhões entre 2007 e 2012 por conta da queda de demanda de passagens, consequência da desaceleração das economias da região, o alto preço de combustível e problemas de tráfego aéreo.

"Não temos como continuar voando ... Não há norma que permita ao governo colocar dinheiro dentro da empresa. A única maneira era com a capitalização do privado e o Estado colocando a sua parte", disse a fonte do governo.

A Pluna ainda não definiu como irá ressarcir os passageiros afetados pela suspensão dos voos. O sindicato dos funcionários da companhia fez uma paralisação na quarta-feira e quinta-feira em defesa dos empregos, o que obrigou o cancelamento de 60 voos.

COMENTÁRIOS
Charles Cooley - 06/07/2012 - 15h12
realmente é tudo verdade. estou desde manhã tentando contato com anac, pluna para verificar sobre meu vôo que paguei à meses atrás e eu deveria embarcar amanhã. agente tenta se precaver ligando antes para não causar tumulto mas a galera gosta é de tumulto mesmo.. é por isso que a América Latina não vai para frente.. Descaso total...


rogério wagner -
06/07/2012 - 15h15
Eu tambem tinha passagem para a buenos aires,sairia hoje pela manhã de brasilia.O governo do brasil deveria ser mais rigoroso com relação as companhias que se instalam no nosso pais e fazem nos brasileiros de otarios,me mandaram voltar para casa.


George Pires -
06/07/2012 - 16h01
Como ficarão os passageiros que já pagaram e viajariam daqui há 3 ou 4 meses??? O que fazer num momento desses???


dayse pessoa -
24/07/2012 - 17h17
Gostaria de saber que empresa aerea fará os foos já agendados.Tenho 3 passagens para Buenos aires (ida/volta) pra o dia 16 de agosto. E aí? Como fica isso?


valeria -
31/07/2012 - 13h01
Ébrincadeira,ligar na Pluna só ocupado, reclamar para ANAC só com protocolo da Pluna. E assim tudo vira em pizza neste país.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Leilões de aeroportos com o Salgado Filho, de Porto Alegre, devem ocorrer em 2016
Com concessões, Governo espera arrecadar R$ 1 bilhão de aeroportos em 2016
Companhia é a primeira da América Latina a adotar sistema
Azul é primeira a monitorar voo em tempo real
Participação da Delta no capital social da Gol chega a 9,48%
Com a operação, a participação da Delta no capital social total da Gol passou de 2,93% para 9,48%
SkyWest assina pedido firme para 18 jatos E175 da Embraer
Os aviões serão operados pela SkyWest Airlines por meio de uma emenda no acordo de compra de capacidade com a United Airlines