Porto Alegre, sexta-feira, 06 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
29°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1810 4,1830 0,14%
Turismo/SP 4,1800 4,4280 0,68%
Paralelo/SP 4,1600 4,3800 0,22%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
872389
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
872389
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
872389
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Síria Notícia da edição impressa de 29/05/2012

Governo bombardeia Hama e mata 41 pessoas

Após massacre em Houla que deixou 108 mortos, forças de Assad voltaram a entrar em conflito com rebeldes
LOUAI BESHARA/AFP/JC
Annan diz estar horrorizado com os atos violentos
Annan diz estar horrorizado com os atos violentos

Ativistas sírios disseram ontem que as forças do presidente Bashar al-Assad mataram pelo menos 41 pessoas, incluindo oito crianças, durante ataques de artilharia nas últimas 24 horas contra a cidade de Hama.

O relato, que não pôde ser verificado de forma independente, surge depois de o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) ter condenado o massacre de pelo menos 108 civis, muitos deles crianças, na localidade de Houla, na sexta-feira, a despeito do cessar-fogo em vigor há seis semanas na Síria.

Fontes da oposição disseram que tanques e blindados sírios abriram fogo no domingo em vários bairros de Hama, depois de ataques cometidos por rebeldes do Exército Sírio Livre contra bloqueios viários e outras posições do governo. Em nota, o Conselho da Liderança da Revolução em Hama disse que “disparos de tanques derrubaram vários edifícios. Seus moradores foram retirados dos escombros”.

O enviado especial da ONU Kofi Annan disse ontem que está horrorizado com o terrível massacre ocorrido no final de semana, e pediu a “cada indivíduo que tiver um revólver” que baixe suas armas e interrompa os assassinatos. Annan chegou a Damasco ontem para conversações com o presidente Assad e outras autoridades.

“Eu tive de vir à Síria num momento crítico da crise”, disse ele ao desembarcar em Damasco. “Estou pessoalmente chocado e horrorizado pelo trágico incidente em Houla.” Annan pediu aos envolvidos no conflito que encerrem o derramamento de sangue. “Esta mensagem de paz é para todos, para cada indivíduo com uma arma”, afirmou.

Jornalista brasileiro chega a Beirute

Após ficar seis dias preso na Síria, o jornalista Klester Cavalcanti, da revista ISTOÉ, chegou a Beirute, no Líbano, acompanhado de um funcionário da embaixada do Brasil. Segundo o Itamaraty, ele deve retornar ao Brasil o mais rápido possível.

A libertação do jornalista foi informada na sexta-feira. Cavalcanti, 42 anos, teria tentado cobrir os protestos em Homs, mas não dispunha de visto adequado e por isso sofreu sanções do governo.

COMENTÁRIOS
aluno online - 29/05/2012 - 18h17
Isto é uma vergonha.Enquanto não soltarem uma bomba no predio da onu ou nestas embaixadas maracutaias, a coisa não vai se resolver e matança vai continuar. Aliás eles morrem de ri com o governo sirio exterminando pessoas.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Imagem mostra templo destruído
Imagem de satélite mostra Templo de Bel, na Síria, totalmente destruído, diz ONU
Cidade, chamada de Noiva do Deserto, costumava receber milhares de turistas
EI destrói patrimônio em Palmira
Hezbollah diz que Estado Islâmico é um "perigo sem precedentes"
O Hezbollah passou a apoiar o governo Al-Assad abertamente em 2013
Ataque do governo da Síria deixa pelo menos 28 mortos, diz grupo
O conflito na Síria já matou mais de 220 mil pessoas desde março de 2011.