Porto Alegre, segunda-feira, 21 de janeiro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7700 3,7720 0,37%
Turismo/SP 3,7300 3,9300 0,51%
Paralelo/SP 3,7400 3,9400 0,51%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
210518
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
210518
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
210518
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

CIDADANIA Notícia da edição impressa de 24/04/2012

Susepe inaugura celas para travestis no Presídio Central

EDUARDO SEIDL/PALÁCIO PIRATINI/JC
Marcelly ressalta que objetivo é coibir a violação de direitos humanos
Marcelly ressalta que objetivo é coibir a violação de direitos humanos

A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) realizou ontem a inauguração oficial das celas específicas para atenção integral da população de lésbicas, gays, bissexuais e travestis e transexuais (LGBT) no Presídio Central.

De acordo com Marcelly Malta, da ONG Igualdade RS, há cinco meses em funcionamento, o projeto das alas separadas foi criado em 2011 com a intenção de retirar as travestis em situação de risco e violência, além de tentar coibir a violação dos direitos humanos. A população se encontrava dispersa em galerias destinadas aos presos com processo por crimes sexuais.

Em março de 2012, depois de um estudo técnico e da segurança prisional, a população LGBT foi movimentada para a galeria exclusiva. No entanto, o número de travestis e companheiros sofre variações ao longo do tempo, em razão das entradas e saídas próprias do sistema prisional.

COMENTÁRIOS
BR - 24/04/2012 - 08h49
Estão inaugurando salas no presidio que vai ser implodido??

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Reconhecimento do Areal da Baronesa será votado em até um mês
Quilombolas lutam para preservar a própria história
Imagem mostra a edição do evento no Rio de Janeiro
Evento para mulheres negras ocorre em Porto Alegre neste sábado
Órgãos sociais defendem engajamento estudantil nas políticas públicas de saúde
A presidente do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Socorro de Souza, pediu que os jovens se interessem pelos conselhos de saúde e ajudem a fortalecê-los
Pesquisa diz que 94% dos moradores das favelas do país se dizem felizes
A pesquisou foi transformada no livro  Um País Chamado Favela, lançado oficialmene hoje (14) no Rio de Janeiro