Porto Alegre, terça-feira, 10 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
35°C
23°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1470 4,1490 0,41%
Turismo/SP 4,1000 4,3480 0,18%
Paralelo/SP 4,1100 4,3400 0,23%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
584698
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
584698
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
584698
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

CONJUNTURA Notícia da edição impressa de 17/04/2012

PIB prévio recua pelo segundo mês seguido

A economia brasileira encolheu pelo segundo mês seguido. De acordo com os cálculos do Banco Central, o IBC-Br, índice que mede o crescimento do País, caiu 0,23% em fevereiro, levemente acima das apostas do mercado financeiro. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pela autoridade monetária. Foi o segundo mês seguido de queda do indicador, sendo que em janeiro, quando comparado com dezembro, houve retração de 0,18% na economia brasileira.

Nos últimos 12 meses, o IBC-Br acumula alta de 2,05% até fevereiro. O dado é menor do que no mês passado, quando estava em 2,44%, o que mostra uma desaceleração da atividade econômica.

Com a oscilação, o indicador passou de 140,53 pontos em janeiro para 140,20 pontos em fevereiro. Esse foi o pior desempenho mensal desde outubro de 2011, quando o índice havia caído 0,58% na comparação a setembro com ajuste.

O objetivo do governo neste ano é o de garantir crescimento da economia na casa de 4%, apesar de o próprio BC calcular uma expansão de 3,5% no Produto Interno Bruto. Para tanto, o governo vem anunciando medidas para acelerar a atividade e estimular o consumo. As mais recentes aconteceram no início de abril, num pacote de pouco mais de R$ 60 bilhões entre desonerações e nova injeção de capital no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes).

O índice foi criado pelo Banco Central para balizar as decisões do Comitê de Política Monetária (Copom), já que os dados oficiais do IBGE demoram três meses para serem conhecidos.

Já a pesquisa Focus, divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central, manteve em 3,30% a estimativa de crescimento do PIB, em 2012 (estável em relação à pesquisa de mercado anterior), aumentando de 4,20% para 4,30% a previsão para 2013.

A projeção para o crescimento da produção industrial também seguiu estável em 2%, em 2012, e em 4% em 2013. De acordo com a pesquisa, o superávit comercial de 2012 é projetado em US$ 19 bilhões, mas a estimativa para o desempenho comercial em 2013 caiu de US$ 15 bilhões para US$ 14,70 bilhões.

A projeção para o Investimento Estrangeiro Direto (IED), em 2012, subiu de US$ 55 bilhões para US$ 56,40 bilhões. A previsão de IED para 2013 se manteve em US$ 56,40 bilhões. A estimativa de câmbio para o fim de 2012 aumentou de R$ 1,78 para R$ 1,80, mesmo patamar da expectativa para o câmbio, ao fim de 2013, que se manteve.

Apesar do resultado mais fraco que o esperado da inflação de março registrada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a pesquisa Focus revelou um aumento da previsão do mercado financeiro para o índice oficial de preços em 2012, que passou de 5,06% para 5,08%. Para 2013, porém, a estimativa dos analistas consultados seguiu estável em 5,50%.

A projeção da Selic do mercado para abril segue em 9%. A estimativa indica o corte de 0,75 ponto percentual, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que se reúne terça e quarta-feira desta semana.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Recompra de dívidas se torna atraente para bancos brasileiros, diz Fitch
A agência de classificação de risco Fitch apontou em relatório que alguns bancos pequenos e médios brasileiros têm buscado recomprar dívidas abaixo do valor de face
Awazu fala em vigilância para assegurar convergência da inflação à meta em 2016
O diretor de Política Econômica do Banco Central, Luiz Awazu Pereira, afirmou nesta quinta-feira (24) que é preciso manter a vigilância para assegurar a convergência da inflação para a meta ao fim de 2016
Tombini diz que País passa por 3 ajustes importantes: externo, fiscal e monetário
Segundo o presidente, movimento é resultado de uma economia que está em contração, mas também do ajuste de preços, o que reduz a necessidade de financiamento do país em 2015
Câmbio e inflação presente dominam as previsões de 2016, segundo BC
Em estudo apresentado no relatório trimestral de inflação o BC resolveu investigar mais a fundo as determinantes das expectativas de inflação e a inércia inflacionária