Porto Alegre, quarta-feira, 13 de novembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
30°C
28°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1890 4,1910 0,55%
Turismo/SP 4,1300 4,3900 0,45%
Paralelo/SP 4,1400 4,3800 0,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
180813
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
180813
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
180813
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Repórter Brasília Edgar Lisboa
edgarlisboa@jornaldocomercio.com.br

Repórter Brasília

Coluna publicada em 23/02/2012

Paim cobra prefeita petista

“O índio José Adelson Jaminawa levou um tiro de bala de borracha e ficou cego de um olho. Júlia Graziela Vasquez, 21 anos, desalojada pela polícia, sofreu um aborto logo depois da operação, por um policial que lhe desferiu um chute na barriga. Abimael Filho, outro invasor, levou um tiro, também de bala de borracha, no rosto.” As palavras são do senador Paulo Paim (PT), em requerimento enviado à Comissão de Direitos Humanos do Senado, solicitando audiência pública para discutir atos de desocupação em Brasíleia (AC). No documento, Paim cita nominalmente uma colega de partido: “No dia 18 de julho, uma comissão dos desalojados foi falar com a prefeita Leila Galvão, do Partido dos Trabalhadores, houve novo desentendimento, e um dos líderes da invasão, Marcos Filho, foi atingido por uma pistola de choque (taser) no pescoço”.

Operação Mãos Dadas

Acolhendo denúncia do Ministério Público Federal (MPF), a Justiça Federal de Porto Alegre condenou quatro réus da chamada “Operação Mãos Dadas” da Polícia Federal (PF), deflagrada em dezembro de 2011 contra o tráfico de drogas. Dois foram condenados pelos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica de documento particular e denunciação caluniosa e os outros dois por formação de quadrilha e falsidade ideológica. Além de penas que variam de dois a nove anos de reclusão, os réus devem pagar multas que vão de 63 a 7.620 salários-mínimos. Foi mantido, ainda, o sequestro dos bens, de aproximadamente R$ 29,5 milhões para a reparação dos danos. Esse valor corresponde ao que era devido ao fisco pelas empresas tituladas e administradas pelos réus na época da operação. A Justiça Federal fixou em R$ 30 milhões o valor para o pagamento de fiança a um dos acusados com posição de destaque na organização criminosa, que reside no Uruguai. De acordo com a decisão, a imposição da fiança é necessária, “uma vez que ela constitui a forma de vincular o réu ao processo e obediência às ordens judiciais”.

Crianças para adoção

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) informou que o Rio Grande do Sul é o segundo Estado que mais tem crianças e adolescentes disponíveis para adoção, cerca de 796, perdendo apenas para São Paulo (1.266). Felizmente, o Estado também ocupa a segunda posição em número de pais pretendentes à adoção: 4.271.

Para não virar sucata

O deputado federal Eliseu Padilha, do PMDB, apresentou projeto de lei para instituir que os proprietários que não retirarem seus equipamentos eletrônicos da loja de reparos em 60 dias não terão mais direito aos seus bens. “Não ocorrendo a retirada do equipamento no prazo fixado pela presente lei, fica o estabelecimento prestador de serviço autorizado a alienar o bem ou utilizá-lo como sucata”, escreve o peemedebista.

COMENTÁRIOS
Rafael Morawski - 23/02/2012 - 10h22
Acho justo, se em 60 dias vc não buscar, fica disponivel para pagar o trabalho. Se pararmos para pensar, a pessoa que concerta vai ter que esperar 60 dias para receber pelo seu trabalho. Eu é que não gostaria de esperar tanto para receber, mas já é uma orientação justa. Pelo menos tem prazo.


manoel matias -
02/02/2014 - 17h35
Boa tarde Este projeto é muito bem vindo, pois o codigo de defesa do consumidor so da direito aos clientes e nao aos proficionais da aria de consertos, so tem leis pra eles, para nós so resta os deveres, parabens para o deputado Eliseu Padilha, somente ele se lembrou de nós, ja era pra ter sido aprovado ha muitos anos, e ainda deve ter alguns que ainda vai ser do contra, pois afinal este é um pais do contra, para benificiar a nação, parabens novamente dr: Padilha, grato Manoel Matias.tecnico.


Manoel Matias -
02/02/2014 - 17h43
Boa tarde Este projeto é muito bem vindo, pois o codigo de defesa do consumidor so da direito aos clientes e nao aos proficionais da aria de consertos, so tem leis pra eles, para nós so resta os deveres, parabens para o deputado Eliseu Padilha, somente ele se lembrou de nós, ja era pra ter sido aprovado ha muitos anos, e ainda deve ter alguns que ainda vai ser do contra, pois afinal este é um pais do contra, para benificiar a nação, parabens novamente dr: Padilha, grato Manoel Matias.tecnico.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Golpe e corrupção
A sessão desta quinta-feira na Câmara deverá ser marcada principalmente por duas palavras: golpista e corrupto
Depósitos judiciais
Está sendo discutido no Supremo Tribunal Federal (STF) o uso de depósitos judiciais para pagar despesas públicas
Estatuto do Desarmamento
A comissão especial que trata do projeto de lei que revoga o Estatuto do Desarmamento deve votar o relatório do deputado Laudívio Carvalho (PMDB-MG) hoje
Brasil chinês
A Câmara dos Deputados aprovou a urgência na tramitação do projeto de lei que regula a compra de terras brasileiras por estrangeiros