Porto Alegre, segunda-feira, 14 de outubro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
20°C
20°C
15°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0940 4,0960 0,70%
Turismo/SP 4,0600 4,2980 0%
Paralelo/SP 4,0700 4,2900 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
178484
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
178484
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
178484
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Logística Notícia da edição impressa de 15/07/2011

Metrô de Porto Alegre terá concorrência por recursos

Custo dos projetos no PAC da Mobilidade supera verbas disponíveis

Jefferson Klein

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Gomes defende a conciliação entre veículos e transporte coletivo.
Gomes defende a conciliação entre veículos e transporte coletivo.

Empreendimento muito aguardado pelos porto-alegrenses, o metrô terá que enfrentar uma forte concorrência se quiser ser concretizado. Segundo o prefeito da Capital gaúcha, José Fortunati, o valor da soma dos projetos similares de outros estados que tramitam no governo federal é praticamente o dobro do volume de recursos disponibilizados pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade Grandes Cidades.

"Isso significa que cerca da metade das iniciativas terá que ser cortada", adianta o prefeito. O governo federal reservou R$ 18 bilhões para obras dentro desse programa, R$ 12 bilhões através de financiamento e R$ 6 bilhões pelo orçamento geral da União. O metrô gaúcho implicará investimento de cerca de R$ 2,4 bilhões e contará, além do PAC, com recursos da iniciativa privada, contraprestação da prefeitura e isenções fiscais estaduais e municipais.

Apesar da disputa acirrada, Fortunati ressalta que um fator que lhe deixa mais tranquilo é que Porto Alegre está preenchendo os requisitos exigidos como ligações com outros modais e com o transporte coletivo da Região Metropolitana, mais uma modelagem financeira adequada, com a realização de uma Parceira Público-Privada (PPP). "Estamos muito otimistas", diz o prefeito.

A definição sobre a contemplação ou não do metrô da Capital gaúcha no PAC deverá ocorrer no dia 27 de agosto. O projeto apresentado prevê a construção da primeira fase da linha com extensão de 14,88 quilômetros, com início nas proximidades da Fiergs, na avenida Assis Brasil, passando pela avenida Farrapos e rua Voluntários da Pátria, e chegando à avenida Borges de Medeiros. Ao todo, serão 13 estações, por onde circularão em torno de 300 mil passageiros por dia.

Fortunati palestrou nessa quinta-feira sobre mobilidade urbana durante a 13ª Transpo-Sul - Feira e Congresso de Transporte e Logística, que se encerra nesta sexta-feira, no Centro de Eventos da Fiergs. O prefeito destaca que o problema do trânsito é uma questão enfrentada em todos os grandes centros do mundo. Em Porto Alegre, uma ação que foi adotada para melhorar a situação foi a restrição da movimentação de caminhões de maior porte no Centro Histórico.

Outra medida que deve beneficiar a fluidez do trânsito, conforme o dirigente, é a implantação dos contêineres da nova coleta automatizada de lixo orgânico domiciliar. Os equipamentos possibilitarão que o deslocamento dos caminhões de lixo seja mais rápido, pois não será necessário recolher várias sacolas espalhadas pela calçada. Fortunati também enfatiza que os veículos não precisarão operar apenas à noite, podendo, de acordo com cálculos feitos pela EPTC, aproveitar períodos de menor fluxo nas vias. A previsão é de que 1,1 mil contêineres estejam nas ruas até a segunda-feira.

O major Ordeli Savedra Gomes, que participa do Comitê de Mobilização pela Segurança no Trânsito do governo do Estado, aponta como fundamental conciliar o aumento do número de veículos em atividade, com o transporte coletivo. Ele lembra que a Organização das Nações Unidas (ONU) indicou essa como a década mundial pela ação na segurança no trânsito. Gomes salienta que o Rio Grande do Sul aderiu à campanha e o governo trabalhará em questões como educação, fiscalização, infraestrutura, entre outras, para tentar reduzir os acidentes de trânsito.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Grande safra de soja foi principal motivo do aumento dos embarques
Porto do Rio Grande teve recorde de movimentação no mês passado
Movimentação de mercadorias em contêineres no Brasil quase dobrou de 2010 a 2014
Crise trava expansão da navegação de cabotagem no País
ANTT autoriza reajuste de tarifas em trechos da BR-163/MT
Também foi reajustada a Tarifa Básica de Pedágio quilométrica, de R$ 0,02730 para R$ 0,04528, com entrada em vigor no prazo de dez dias
Zilá defende busca de empresas para construção da ferrovia
Trecho gaúcho da Ferrovia Norte-Sul é apresentado na Fiergs