Porto Alegre, sexta-feira, 06 de dezembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
23°C
29°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1810 4,1830 0,14%
Turismo/SP 4,1800 4,4280 0,68%
Paralelo/SP 4,1600 4,3800 0,22%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
212233
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
212233
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
212233
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Justiça Notícia da edição impressa de 11/11/2010

Sentença do caso Crusius versus Ruas sai em 20 dias

Gisele Ortolan

MARCELO G. RIBEIRO/JC
Carlos Crusius (e) processou o vereador do P-Sol (d) por difamação
Carlos Crusius (e) processou o vereador do P-Sol (d) por difamação

Durou duas horas e meia a audiência no processo de difamação movido pelo professor Calos Crusuis (PSDB) contra Pedro Ruas (P-Sol), vereador de Porto Alegre. Nesta quarta-feira foram ouvidos os depoimentos da defesa e da acusação.

O deputado estadual Pedro Westphalen (PP), o jornalista Auber de Almeida e o diretor do Brde Mário Bernd (PPS) falaram em favor de Crusius. Ruas teve os depoimentos da deputada estadual Stela Farias (PT), da vereadora porto-alegrense Fernanda Melchionna (P-Sol) e do vice-governador do Estado, Paulo Feijó (DEM).

O resultado do julgamento só deve ser conhecido em 20 dias, quando o juiz Artur dos Santos e Almeida concluirá a análise do caso. A ação corre no terceiro juizado especial criminal de Porto Alegre.

A ação foi proposta por Crusius, que acusa Ruas de crime de difamação em razão de declarações feitas em um programa de televisão em 2009. Na ocasião, o vereador sustentou que o então marido da governadora Yeda Crusius (PSDB) teria desviado dinheiro da campanha eleitoral de 2006, quando a tucana se elegeu para o Piratini.

A estratégia da defesa é provar que Ruas se manifestou como parlamentar e num contexto em que as denúncias já eram de conhecimento público. "É um fato público, notório, não difamatório. Não fui processado por calúnia, mas por difamação. Ele (Crusius) não disse que menti a respeito dele", argumentou.

Para Crusuis, Ruas evocou a imunidade parlamentar para fugir do processo. "É uma pretensa imunidade para fugir das consequências de suas exacerbações. Quem faz isso sabe que não tem razão. Moralmente esta questão já está resolvida. A questão legal compete ao Judiciário."

O vice-governador Paulo Feijó foi o único a deixar a audiência sem falar com a imprensa. Alguns militantes do P-Sol estiveram na entrada do Fórum Central em apoio ao vereador, mas foram impedidos de acompanhar a audiência.

COMENTÁRIOS
Angela de Abreu Rodrigues - 11/11/2010 - 15h49
Bem, depois de todos os escândalos envolvendo membros do governo Yeda, como o do DETRAN, de espionagem no Piratini, de desvios de verbas de publicidade no Banrisul, a sociedade gaúcha está na expectativa no resultado desse julgamento. Vamos aguardar. Boa tarde.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
OAB diz que palavra final sobre doação de empresas será do STF
A intenção da entidade é de que seja concedida uma liminar proibindo as doações até outubro, um ano antes do período eleitoral
Maluf terá de pagar indenização de R$ 128 milhões a prefeitura de SP
Maluf foi condenado por improbidade administrativa em 2006; Justiça considerou que ele fez promoção pessoal com recursos públicos
Na denúncia, Basegio é apontado como chefe do grupo
MP apresenta denúncia contra Diógenes Basegio e mais cinco pessoas
Servidores da Justiça estadual no RS aceitam reajuste de 8,13% e põem fim à greve
A proposta também inclui anistia do corte de ponto dos dias de paralisação em 2014 e 2015 e a criação de um grupo de trabalho para debater reivindicações pendentes