Porto Alegre, quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
159316
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
159316
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
159316
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Giro Rápido Vinicius Ferlauto
automotor@jornaldocomercio.com.br

Giro Rápido

Coluna publicada em 01/10/2010

Por uma frota mais nova

Quarenta e cinco por cento, quase metade, portanto, da frota brasileira de caminhões têm mais de 20 anos de uso. Isso significa que cerca de 600 mil veículos já estão na idade de se aposentar, sendo que 270 mil deles estão rodando há mais de 30 anos. Os problemas de uma frota com idade avançada são conhecidos: caminhões velhos poluem mais, estão mais propensos a estragar na rua, provocando congestionamentos, e a se envolver em acidentes. Para completar o quadro negativo, eles prejudicam uma logística mais eficiente e geram mais gastos com consumo de combustível e manutenção. Estudos indicam que os caminhões novos emitem entre 80% e 90% menos poluentes do que aqueles fabricados até 1993. De todos os caminhões em circulação no Brasil, 53% foram fabricados antes desse ano. Tal panorama estimulou a Confederação Nacional dos Transportes a desenvolver o RenovAR - Plano Nacional de Renovação de Frota de Caminhões. Ele prevê a melhoria do acesso ao crédito, especialmente para os caminhoneiros autônomos, e a retirada de circulação dos veículos antigos com a destinação correta da sucata e de outros materiais para a reciclagem. Segundo a entidade, os autônomos representam 62% do total da frota de 1,3 milhão de caminhões no Brasil. Eles são proprietários de 88% dos veículos com mais de 30 anos e enfrentam dificuldades em comprar um caminhão novo. O RenovAR defende que sejam retirados de circulação todos os veículos com mais de 30 anos.

Salto na carreira

A Volvo Trucks & Buses Argentina será presidida por José Olímpio Dal Magro Francisco, em substituição a Carlos Pacheco, que recentemente voltou ao Brasil para ocupar a gerência de pós-venda de produtos e serviços da marca. O novo presidente assume a posição após três anos como diretor-executivo da concessionária Dipesul, responsável pela comercialização de caminhões e chassis de ônibus e por todo o pós-venda da Volvo no Rio Grande do Sul. Graduado em Engenharia Mecânica, Dal Magro trabalha no Grupo Volvo desde 1999.

Em colaboração

O Grupo PSA Peugeot Citroën e a Mitsubishi Motors anunciaram a assinatura de um acordo para desenvolver uma versão elétrica dos comerciais leves Peugeot Partner e Citroën Berlingo produzidos na fábrica da PSA em Vigo, na Espanha.

Apoio logístico

A Chrysler do Brasil passa a contar com o apoio da Fiat para os serviços de desembaraço dos veículos importados no Porto do Rio de Janeiro (RJ). A operação será realizada pela Fiat Services. Este é mais um dos frutos da aliança estratégica mundial entre Chrysler e Fiat. Desde 2009, a Chrysler do Brasil já vem contando também com os serviços financeiros da Fiat, oferecidos pelo Banco Fidis.

Queda livre

Durante todo o ano passado os preços das motocicletas zero-quilômetro caíram 2,83%. Apenas nos oito primeiros meses de 2010 a queda já foi bem superior: 6,06%, conforme levantamento da AutoInforme/Molicar.

O peso do Brasil

A filial argentina da Fiat pode triplicar sua produção nos próximos dois anos sem precisar de novos investimentos devido, principalmente, à elevada demanda do Brasil. A planta de Córdoba produz atualmente 420 veículos por dia, mas tem condições de chegar a 1.200 com a adoção de novos turnos de trabalho. A Fiat Argentina exporta 85% de sua produção, a maior parte para o Brasil.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Fornecedora sul-coreana
A fornecedora de autopeças sul-coreana Kwangjin investirá R$ 35 milhões em uma nova fábrica em Sumaré (SP)
Financiamentos garantidos
A Fiat Chrysler Automóveis (FCA) e o Banco Fidis firmaram parceria com a unidade de financiamentos do Bradesco pelo prazo de 10 anos
Liderança em veículos elétricos
A Aliança Renault-Nissan vendeu o seu veículo elétrico de número 250 mil
Foco nas exportações
A fabricante de motores a diesel MWM planeja expandir em 30% suas exportações neste ano em relação a 2014