Porto Alegre, sábado, 17 de agosto de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
26°C
23°C
11°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0030 4,0050 0,37%
Turismo/SP 3,9500 4,1600 0,47%
Paralelo/SP 3,9600 4,1700 0,47%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
195938
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
195938
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
195938
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

CASO ELISEU SANTOS Notícia da edição impressa de 27/05/2010

PTB quer encerrar o assunto e prega a união no partido

Ordem é evitar repercussão para não prejudicar candidatura de Lara
Gabriela Di Bella/JC
Cassiá (c) comandou reunião ontem com bancada da legenda na Câmara
Cassiá (c) comandou reunião ontem com bancada da legenda na Câmara

Exaltação ao partido e críticas a "opositores que buscam prejudicar a legenda na eleição". Esse foi o tom dos discursos da reunião de ontem entre o novo presidente do PTB porto-alegrense, deputado estadual Cassiá Carpes, e a bancada da legenda na Câmara Municipal.

A pauta oficial era a apresentação da estrutura petebista no Legislativo ao novo dirigente. Porém, o objetivo que pairou no ar durante todo o encontro foi um só: sepultar de uma vez por todas os respingos do caso Eliseu Santos dentro do partido.

O encontro foi uma injeção de autoestima para a cúpula trabalhista em Porto Alegre, que assistiu nesta segunda-feira ao licenciamento do ex-presidente José Carlos Brack. Ele deixou o comando do partido - que exercia há cinco anos - após se tornar réu no processo que investiga a morte do ex-vice-prefeito e ex-secretário de Saúde da Capital, Eliseu Santos (PTB), assassinado em 26 de fevereiro.

"Quanto menos falarmos nesse assunto, melhor para nós." Foi essa a ordem dada ontem pelo novo presidente metropolitano. A intenção é evitar ao máximo a repercussão do indiciamento de Brack na candidatura do deputado estadual Luís Augusto Lara ao governo do Estado.

A aceitação pela Justiça da denúncia do Ministério Público (MP), que relaciona Brack ao crime, preocupou os líderes do partido. "Perdemos um pai. Isso nos deixou desorientados e em conflito", desabafou o diretor do Departamento Municipal de Habitação (Demhab), Humberto Goulart.

O ex-vereador foi categórico ao ressaltar a importância de a legenda permanecer unida: "O PTB precisa de um líder no momento em que tentam nos abalar", declarou.

Os trabalhistas alegam que há interesse de opositores em fustigar a candidatura de Lara. O vereador Dj Cassiá foi ovacionado pelas lideranças após enfatizar, em tom ameaçador: "Estamos dando um recado, não brinquem com a gente, pois viemos para ganhar essa eleição".

O novo vice-presidente metropolitano, vereador Maurício Dziedricki, disse que o foco do PTB deve ser o fortalecimento para a disputa ao Palácio Piratini. "Fazemos política para quem gosta da gente, quem não gosta vai ter que nos engolir", afirmou.

A crise no PTB aumentou na sexta-feira passada, quando o juiz Ângelo Furlanetto Ponzoni, da 1ª Vara do Júri, acolheu pedido do MP para incluir Brack como réu no processo que investiga a morte de Eliseu Santos.
Ao contrário da Polícia Civil, que sustenta que a morte do político foi latrocínio (roubo seguido de morte), o MP endossa a tese de que o crime tem relação com o esquema de cobrança de propina na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), quando Eliseu era titular da pasta.

A denúncia veio à tona em maio de 2009, quando Jorge Renato Hordoff de Mello, diretor da empresa Reação - que fazia a segurança dos postos de saúde da Capital -, afirmou que o então assessor jurídico da SMS, Marco Antônio de Souza Bernardes (PTB), cobrava propina do prestador de serviço.

COMENTÁRIOS
Claudio - 26/05/2010 - 22h23
São agora dois governos marcados com sangue(leia-se arcelo Cavalcante e Eliseu Santos)


Bia Rodrigues -
27/05/2010 - 01h30
Depois do deputado Sérgio Moraes, que diz estar se lixando para a opinião pública,o PTB está envolvido em um lamaçal que cheira a pagamento de propinas para bancar candidaturas do partido e com o até agora não explicado assassinato de Eliseu Padilha. O trabalhismo não merecia tanta corrupção e desmandos. Que quadrilha,heim?


Henrique -
27/05/2010 - 17h35
Para o Cláudio... Não esqueçamos do Celso Daniel e tantos outros casos do partido que tem o telhado de vidro, mas adora estilhaçar o telhado dos outros...


Claudio -
27/05/2010 - 22h37
Henrique, por acaso teu sobrenome não é Valério? Pois é, tem um Henrique Valério membro do PTB que junto com sua esposa fraudou o concurso para Assessor para Assuntos Jurídicos da PMPA através de amigos da Secretaria de Administração de POA, também membros do PTB.O caso esta sendo investigado pelo Ministério Público e Polícia Federal.


Felipe -
10/08/2010 - 18h12
Podiam pesquisar os demais partidos também ......

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Então titular da Saúde de José Fogaça, Eliseu foi assassinado ao sair de culto
Morte de ex-secretário Eliseu Santos completa quatro anos
Sessão no Fórum Central da Capital ouviu testemunha que havia se ausentado na convocação anterior
Justiça retoma audiências sobre morte de secretário