Porto Alegre, domingo, 25 de agosto de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
13°C
22°C
12°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1220 4,1240 1,10%
Turismo/SP 4,0600 4,2800 1,18%
Paralelo/SP 4,0700 4,2900 1,17%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
634320
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
634320
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
634320
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Conexão Política Adão Oliveira
adaooliveira@hotmail.com

Conexão Política

Coluna publicada em 27/05/2010

De alianças e concessões

O PDT exigiu o apoio do PMDB à Dilma Rousseff, candidata do PT à presidência da República. Em troca, o partido apoiaria a candidatura de José Fogaça, do PMDB, ao governo do Estado.

Fechado o acordo no Reino do Faz de Conta.

O PMDB finge que aceitou a exigência e o PDT finge que acreditou nisso. Ia tudo bem, até que Carlos Lupi, pressionado pelo governo federal, considerou uma afronta ao "Acordo da Fantasia" a recepção oferecida por deputados da bancada do PMDB a José Serra, que vem a ser o principal obstáculo para Dilma Rousseff tomar conta - de direito - do Planalto, palácio que ela já governava de fato.
E aí deu chabu!

Tudo que parecia é. Ainda que as cúpulas tenham firmado a aliança, ela não corresponde, na sua integridade, aos anseios das bases dos dois partidos. Grande parte dos eleitores peemedebistas não aceita - nem sob tortura - votar em Dilma Rousseff.

Pelo PDT, é a mesma coisa: depois que, lá atrás, Leonel Brizola e Pedro Simon "quebraram os pratos", o Rio Grande ficou pequeno demais para os dois partidos. E a cizânia foi inexorável.

Agora, depois de jogar um travesseiro de penas ao vento, o difícil é recolher as penas. É inegável o esforço das cúpulas para encontrar um código de convivência. Mas, tanto o PDT quanto o PMDB devem exercitar suas capacidades de tolerância e fazer concessões.

Nada deve ser exigido a mais do que o passado do parceiro permite absorver. Entre os dois não deve haver espaço para pequenas maldades e até pequenas chantagens. Dona Dilma não deve pressionar tanto o PMDB por um palanque.

Pelo menos não publicamente.

Pompeo de Mattos (PDT) não pode deixar o parceiro numa "saia justa" ao pedir que a propaganda de Dilma apareça na propaganda de José Fogaça (apesar de muita gente achar que isso seja legítimo).
O PMDB, por outro lado, vai ter que "engolir algum sapo". O pior é que Fogaça sabe que sozinho não chegará. "Sonhar sozinho é apenas um sonho!"

Plano Diretor

O vereador Reginaldo Pujol (foto), do DEM, foi escolhido pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal, Pedro Ruas (P-Sol), para encaminhar o texto final da revisão do Plano Diretor de Porto Alegre. Ontem, da tribuna, Pujol afirmou que aceita a incumbência. A expecativa de Ruas é que o trabalho de verificar se a redação contempla o que foi decidido pela Casa seja concluído até a próxima terça-feira, quando acontece a reunião da CCJ.

Bala na agulha

Anotem este nome: Ricardo Guimarães. Ele é diretor da Secretaria de Infraestrutura do governo do Estado e deve concorrer a deputado federal pelo PSDB. Ricardo Guimarães tem longa experiência em Brasília. Já trabalhou com Júlio Redecker e Adilson Motta. Sua base fica na região Carbonífera e no Alto Taquari. Tem grandes chances de eleger-se.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Perda de um amigo e jornalista exemplar PTB versus PSB
O governador Tarso Genro (PT) teve baixas ao longo do seu governo. Dois partidos que integraram sua base aliada deixaram de apoiá-lo: PSB e PDT
O recado do “guardião”
Após longo impasse, comissões aprovaram relatório do senador Luiz Henrique sobre o projeto de lei que estabelece novo indexador para as dívidas dos estados com a União
Cristãos novos do PDT
Depois de 20 anos, o PDT volta a ter reais chances de vencer uma disputa majoritária estadual