Porto Alegre, quarta-feira, 18 de setembro de 2019.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
15°C
25°C
12°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,0770 4,0790 0,26%
Turismo/SP 4,0400 4,2800 0%
Paralelo/SP 4,0500 4,2900 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
554043
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
554043
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
554043
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Indústria Notícia da edição impressa de 19/04/2010

Vipal e Fate vão disputar mercado de pneus do País

Gaúcha tem maior fatia do capital em empresa binacional

Patricia Comunello

O novo investimento da gaúcha Vipal, líder no mercado de reforma e reparo de pneus na América Latina, com a argentina Fate abre nova frente de disputa no mercado brasileiro. A Vipal, com sede em Nova Prata, responderá pela maior parte do investimento de R$ 400 milhões para implantar unidade no distrito industrial de Guaíba, na ex-área da Ford, que terá como foco a produção de pneus para máquinas agrícolas e automóveis de passeio. A operação deve começar em 2013 em uma área de cem hectares. A Fate, que integra o grupo Aluar, maior transformador de alumínio da Argentina, já fornece produtos para montadoras com plantas no país vizinho, como Volkswagen, Renault, Peugeot e Mercedes-Benz.

Segundo o diretor-presidente da Vipal, João Carlos Paludo, a associação está atenta ao crescimento da demanda pelo componente, que deve se elevar em dois dígitos nos próximos cinco anos. A localização da planta, com acesso a portos e a mercados do centro do País, é fator que pesa para aumentar a competitividade. A relação entre a Fate e a empresa gaúcha começou há um ano com representação de produtos da companhia argentina pela Vipal. A fábrica em Guaíba terá capacidade para processar 3 mil toneladas de matéria-prima por mês, o que resultará em oferta de 7,1 mil pneus. A melhor condição logística, com a proximidade de fabricantes de máquinas e implementos agrícolas - duas das maiores fabricantes estão no Rio Grande do Sul - e a intenção de abastecer montadoras de automóveis brasileiras prometem contribuir para o desempenho da empresa.

A associação com o grupo argentino ocorreu em novembro de 2009, com a aquisição pela companhia gaúcha de parte do capital acionário da Fate. A participação é minoritária. A unidade da empresa, situada em San Fernando, na província de Buenos Aires e que já exporta 60% da produção de 6 mil toneladas ao mês ao Brasil, deve se dedicar no futuro a linhas de veículos de carga. “A associação com o grupo Aluar complementa o negócio da Vipal. As duas plantas serão especializadas. A de Guaíba será voltada ao segmento agrícola e de automóveis”, detalha o diretor-superintendente da Vipal, Renan Lima.

O negócio entre Vipal e Aluar deu origem ao primeiro grupo binacional para atuar no setor, dominado por multinacionais americanas e europeias, reforçou Lima. Parte do valor da nova planta deve ser buscada com instituições financeiras, como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes). Segundo o executivo, a empresa encaminhará pedido após obtenção das licenças para instalação da fábrica.

O investimento foi anunciado no final de março dentro do pacote do governo estadual de atração de empresas para a área, com total de R$ 708 milhões e geração de 3 mil empregos.

O aporte da Vipal/Fate é o maior entre os seis empreendimentos industriais. As companhias terão incentivos baseados no Programa Fundopem, com adiamento de até 75% do recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A Vipal processa hoje, dentro de seu nicho de atuação, 12 mil toneladas mensais de borracha em duas unidades, em Nova Prata e na recém-inaugurada planta de Feira de Santana, na Bahia.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Usinas destinam 59,9% da oferta de cana à produção de etanol na quinzena
Com isso, o mix relacionado ao etanol passou de 56,06% para 59,99%
Pesquisa revela baixa perspectiva para a indústria gaúcha
O Índice de Confiança do Empresário Industrial de setembro caiu de 37,4 pontos em agosto para 36,6 pontos em setembro, atingindo o segundo menor nível da série histórica iniciada em 2005
Senai assina acordo com instituto alemão para acelerar inovação em indústrias
O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) assinou esta semana um acordo para facilitar as parcerias com a Sociedade Fraunhofer, da Alemanha, formada por 67 institutos de inovação
Índice de produção cai a 42,7 pontos em agosto ante 44 pontos em julho, diz CNI
Os indicadores da pesquisa variam no intervalo de zero a 100, sendo que valores abaixo de 50 indicam evolução negativa