Porto Alegre, quinta-feira, 22 de outubro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
207703
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
207703
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
207703
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

RELAÇÕES INTERNACIONAIS 23/09/2015 - 19h16min

Venezuela instaura estado de exceção no sul da fronteira com Colômbia

Folhapress

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, estendeu nesta quarta (23) o estado de exceção para todas as cidades do Estado de Amazonas, no sul do país, que fazem fronteira com a Colômbia.

Com a medida, Caracas amplia o controle militar para toda a fronteira do país com a Colômbia. O Amazonas é um dos Estados menos populosos do país e o fechamento da fronteira é considerado um movimento simbólico.

A decisão foi tomada poucos dias depois da promessa de normalização progressiva das relações bilaterais entre Venezuela e Colômbia, após um encontro dos dois presidentes em Quito, no Equador, sob a mediação dos presidentes equatoriano, Eduardo Correa, e uruguaio, Tabaré Vásquez.

Desde há cerca de um mês, Caracas fechou postos de fronteira e deportou cerca de 1.400 colombianos sob o pretexto de uma guerra ao contrabando que ocorre na região.

A oposição ao governo e outros críticos estrangeiros acusam o mandatário de usar as crises diplomáticas para poder ganhar as eleições parlamentares de dezembro.

Também nesta quarta (23), as chanceleres da Venezuela, Delcy Rodríguez, e da Colômbia, María Ángela Holguín, realizaram a primeira de uma série de reuniões que visa normalizar a situação -uma das poucas decisões concretas acordadas no Equador.

A delegação de ambos os países inclui os ministros da Defesa, entre outros. As conversas haviam sido acordadas no encontro entre os presidentes de ambos os países em Quito, na segunda-feira.

Na terça, uma outra tensão fronteiriça do país, com a Guiana, no leste do país, foi reavivada quando a Venezuela enviou tropas à região. O país reivindica a região de Essequibo, onde a Exxon Mobil afirmou ter descoberto petróleo.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Bolívia obtém primeira vitória em reivindicação por acesso ao Pacífico
O tribunal internacional de Haia, na Holanda, decidiu que tem competência para julgar o pedido da Bolívia de obrigar o Chile a negociar um acesso ao vizinho ao oceano Pacífico
Dilma embarca para assembleia da ONU sem anunciar reforma ministerial
As dez pastas que serão extintas e os nomes que vão compor o novo ministério só serão anunciados semana que vem
Maduro, Tabaré, Correa e Santos apertaram a mão em ação histórica
Maduro e Santos põem fim à crise
Correa (d) recepciona Maduro em Quito para discutir solução negociada
Maduro e Santos tentam encerrar crise