Porto Alegre, segunda-feira, 20 de janeiro de 2020.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
33°C
30°C
17°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 4,1880 4,1900 0,21%
Turismo/SP 4,1200 4,3820 0,27%
Paralelo/SP 4,1300 4,3800 0,45%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
182915
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
182915
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
182915
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR
Palavra do Leitor Roberto Brenol Andrade
opiniao@jornaldocomercio.com.br

Palavra do Leitor

Coluna publicada em 22/09/2015

Lei Kandir

Excelente e oportuníssima a matéria de capa do Jornal do Comércio Perdas com a Lei Kandir somam 63% da dívida do Estado (21/09/2015). Parabéns ao repórter Rafael Vigna e ao JC. (Luiz Fonseca)

Obras

Sou morador da rua Ernesto Alves, próximo à Rodoviária Central, e utilizo diariamente o trecho entre minha rua e sua continuação (Comendador Álvaro Guaspari) para acompanhar meu filho até a parada do ônibus localizada perto da Rodoviária. Infelizmente, para mim, meu filho e os milhares de pedestres que utilizam o lugar diariamente, tornou-se uma aventura com risco de vida passar por ali. Ocorre que a prefeitura calçou o entorno, que inclui o prolongamento da rua Santo Antônio com anexo à rua Álvaro Guaspari, e deixou as calçadas em completo abandono, situação calamitosa, buracos que mais parecem trincheiras de guerra, obrigando todos a dividir a rua com os carros que por ali circulam. Essa situação já se arrasta há tempo. Nota-se que a preocupação para com os pedestres é zero por parte da EPTC, que deveria cuidar da integridade física dos pedestres, pois a mesma liberou a circulação de automóveis no local, ocasionando esse quadro de insegurança geral. Não seria tão perigoso se pelo menos não fosse liberada a circulação de automóveis neste trecho (entre a Álvaro Guaspari e a Voluntários da Pátria), enquanto as calçadas não ficam prontas. (José Pereira, comerciário, Porto Alegre)

Extintores

Mais uma autêntica besteira praticada contra os consumidores brasileiros, essa história dos extintores. Há 40 anos, tenho a CNH para dirigir e jamais, mas jamais mesmo, falei com parente, vizinhos, amigos ou qualquer pessoa que tenha utilizado o extintor de incêndio obrigatório nos automóveis. Se um carro pegar foto, geralmente no motor, a pessoa sairá logo e não ficará tentando pegar - em lugar difícil - o extintor e, depois, sem saber manejá-lo, apagar o fogo. (Saulo Correia, Porto Alegre)

ICMS

O governador José Ivo Sartori (PMDB) me parece um homem correto. Ele está falando a verdade e precisa de mais recursos. Infelizmente, ninguém quer abrir mão de nada. (Nair Telles, Santa Cruz do Sul/RS)

José Dirceu

A festa acabou. A luz apagou. A noite esfriou, o dia não veio. E agora José? Em 2005, José Dirceu chamou para si a paternidade do esquema de corrupção que envolveu a compra de votos de parlamentares para apoiar o governo Lula. Com certeza, ele contava com a impunidade brasileira. No fim, Dirceu foi preso e virou a Geni da corrupção da política nacional, onde todos jogaram sua pedra. (Augusto César Martins de Oliveira, coronel reformado do Exército e advogado)

Na coluna Palavra do leitor, os textos devem ter, no máximo, 500 caracteres, podendo ser sintetizados. As cartas publicadas com assinatura nesta página são de responsabilidade dos autores e não traduzem a opinião do jornal. A sua divulgação, dentro da possibilidade do espaço disponível, obedece ao propósito de estimular o debate de interesse da sociedade e o de refletir as diversas tendências.
COMENTÁRIOS
Francisco Berta Canibal - 22/09/2015 - 08h34
Lei Kandir, conforme entendido referente reportagem, do dia de ontem deste jornal, é perfeitamente cobrável do Governo Federal, diante das obrigações que são impostas pelo poder central e unilateral perante a lei maior e constitucional, lembrai-vos das causas das revoluções tanto da de 1835 e a de 1930. Agora aceitar é simplesmente curvar-se ao totalitarismo que reina em Brasilia.

imprimir IMPRIMIR
COLUNAS ANTERIORES
Crise
Atribuindo a causa de nossos problemas atuais para nossa "herança portuguesa"
Cais Mauá
Porto Alegre virou uma terra de ninguém
Previdência
O funcionalismo público estadual reluta equivocadamente em aceitar a reforma previdenciária que deve ser feita para que aconteça o óbvio equilíbrio entre arrecadações e benefícios
Impostos
E a conta sobrou para nós, simples mortais brasileiros