Porto Alegre, sábado, 27 de novembro de 2021.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
728543
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
728543
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
728543
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

Relações Internacionais 08/02/2010 - 14h20min

Brasil ajuda França a elevar lucros com vendas no setor de defesa

O governo brasileiro garante à França lucros importantes com o comércio de armamentos em 2009. Enquanto os gastos militares no planeta caíram no ano passado diante da crise, as vendas francesas ao mundo tiveram uma alta de 21%, atingindo 7,95 bilhões de euros. Quase metade desse volume se refere aos contratos fechados pelos franceses para as exportações de quatro submarinos ao Brasil. Para 2010, o contrato para a compra de caças com o Brasil é mais uma vez a esperança dos franceses, que nunca conseguiram exportar a nenhum mercado seu caça Rafale.

Os dados são da Direção Geral de Armamentos da França, entidade governamental ligada ao Ministério da Defesa. Em 2008, as vendas de Paris haviam atingido 6,58 bilhões de euros. No final de 2008, os dois países anunciaram que haviam fechado um acordo de 3,7 bilhões de euros para a compra de quatro submarinos de ataque Scorpène. O acordo acabou sendo assinado em 2009. O governo alemão havia oferecido uma proposta que teria um preço abaixo do que foi oferecido pela França.

Para 2010, o governo francês indica que a meta é de obter exportações ainda superiores às taxas de 2009. Mais uma vez, o Brasil promete ser a grande esperança, com a compra de 40 jatos Rafale da empresa Dassault Aviation. Hoje, em uma coletiva de imprensa em Paris, o diretor-geral do órgão governamental, Jacques de Lajugie, indicou que a França espera "com serenidade" a decisão do governo brasileiro sobre os caças.

Os franceses teriam oferecido o caça com um desconto. Dos US$ 8,2 bilhões (R$ 15,1 bilhões) iniciais, o contrato ficaria em US$ 6,2 bilhões (R$ 11,4 bilhões). Os Emirados Árabes Unidos também negociam a compra do avião com os franceses. Mas nos últimos anos, a tentativa de Paris de exportar seu caça fracassou em todas as ocasiões. Já o governo francês indicou hoje a compra de 60 caças de sua própria empresa, além de gastos em outros equipamentos. Em 2009, a França gastou 19,3 bilhões de euros para se rearmar.

A França é hoje o quarto maior exportador de armas do mundo, superado apenas por Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. Mas o país vinha perdendo espaço. Com a retomada das vendas, a meta é a de atingir 10 bilhões de euros em vendas no médio prazo.

Além do Brasil, a França ainda comemora as vendas para a Rússia de um navio militar anfíbio. A encomenda russa tem alarmado as ex-repúblicas soviéticas.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Em gesto inédito, EUA podem aceitar voto da ONU contra embargo a Cuba
Segundo autoridades americanas, o governo do presidente Barack Obama está avaliando abster-se na votação da Assembleia Geral da ONU em outubro sobre uma resolução que exige a suspensão do embargo. Há 23 anos, Cuba apresenta anualmente ao organismo internacional uma resolução contra o bloqueio
Brasil conclui negociação com Suécia para a compra de 36 caças
Após 14 anos, o Brasil concluiu a negociação da compra de 36 caças para a FAB
Conselho empresarial quer união da América Latina para atrair investimentos
Asembleia do Conselho Empresarial da América Latina (Ceal), em Porto Rico, teve a participação de mais de 100 lideranças empresariais
Monteiro: acordo Mercosul-UE é de grande interesse e depende de Brasil e Alemanha
Monteiro disse que a reunião com empresários e a presidente Dilma Rousseff foi positiva