Porto Alegre, domingo, 23 de janeiro de 2022.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
19°C
15°C
7°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 5,5230 5,5250 1,61%
Turismo/SP 4,7300 5,8120 0,44%
Paralelo/SP 4,7400 5,6700 0%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral / Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas
ASSINE  |  ANUNCIE  
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
383247
Repita o código
neste campo
 
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
383247
Repita o código
neste campo
 
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]  
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
383247
Repita o código
neste campo
 
 
imprimir IMPRIMIR

CIÊNCIA 17/04/2015 - 12h45min

Cientistas brasileiros usam açafrão para eliminar mosquito da dengue

Folhapress

Receitas caseiras para espantar o mosquito da dengue, como usar pó de café ou fazer misturas usando cravo ainda não têm grande respaldo científico, mas no armário de temperos pode sim haver um inseticida formidável: o açafrão.

Cientistas da USP de São Carlos e da Ufscar (Universidade Federal de São Carlos) viram que a curcumina, molécula presente no tempero, prejudica o desenvolvimento das larvas de Aedes aegypti, o vetor da dengue, impedindo que cheguem à fase adulta.

A ideia dos pesquisadores é que em alguns locais onde se acumula água, como poças, pequenos lagos e até a água de beber do cachorro possam ser tratados com o produto. A curcumina também pode funcionar bem para evitar mosquitos em pratinhos de plantas. "Colocar água sanitária no prato as agride. Eu já testei", afirma o cientista.

A água fica um pouco amarelada, mas a molécula se degrada e ela volta a ficar transparente, conta o professor. Isso é sinal de que a curcumina já perdeu sua eficácia, e que a aplicação tem de ser refeita. "Pode não ser a solução definitiva para todos os focos, mas nossa obrigação é tentar fazer algo", diz Bagnato.

A curcumina e algumas moléculas semelhantes a ela -os curcuminoides- fazem com que as larvas dos Aedes se tornem fotossensíveis e morram quando expostas à luz do sol, de lâmpadas fluorescentes ou de LEDs. Uma quantidade baixa (15 mg para cada litro de água) é capaz de praticamente liquidar larvas que estejam expostas ao sol.

"O surpreendente é que as pessoas vêm usando o açafrão [sem processamento químico] contra os mosquitos e o número deles diminui", conta Bagnato.

A pesquisa está sendo feita no Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica, em São Carlos, um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepids) da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

O uso medicinal do açafrão e da curcumina não é novo. O tempero está inserido na cultura hindu como um remédio há milhares de anos e os cientistas já vêm testando a curcumina contra inflamações, cáries, neovascularização da córnea (aumento indesejado de vasos sanguíneos, que prejudica a visão) e câncer, por exemplo.

O próximo passo é o teste em grande escala em alguma cidade que esteja sofrendo com a dengue, diz o professor. Ele está à procura de parceiros nos setores público ou privado que queiram levar a ideia adiante.

COMENTÁRIOS
Nenhum comentário encontrado.

imprimir IMPRIMIR
TEXTOS RELACIONADOS
Pesquisadores iniciam estudo de titanossauro encontrado em Marília
Pesquisadores da UnB começam a se debruçar sobre os ossos de um dinossauro que viveu há 70 milhões de anos
Fóssil estava localizado na margem de um açude em uma propriedade particular
Fóssil de 240 milhões de anos é encontrado no Interior do Rio Grande do Sul
‘Peixe lagarto’ foi da terra para o mar, diz estudo
Um grupo de cientistas encontrou na China o primeiro fóssil de um ictiossauro anfíbio
Semana Nacional de Ciência e Tecnologia inicia nesta segunda
Em sua 11ª edição, evento busca popularizar a ciência e mostrar sua importância no desenvolvimento do país, além de incentivar a atitude científica e a inovação